"Segui o regimento", diz Maia sobre votação da urgência da reforma trabalhista

Valmar Hupsel Filho

São Paulo

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) minimizou na noite desta quinta-feira, 20, as críticas da oposição ao colocar novamente para apreciação a urgência do Projeto de Lei da reforma trabalhista 24 horas depois de uma derrota em plenário.

"O regimento da Casa permite que o plenário aprecie novamente a urgência de um Projeto de Lei. Segui o regimento", disse Maia ao participar do 16º Fórum Empresarial, organizado pelo Grupo Lide, em Foz do Iguaçu.

Na sessão, Maia foi comparado ao ex-presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por parlamentares de oposição, que exibiram cartazes com dizeres: "método Cunha de novo, não". "Não vamos aceitar padrão Eduardo Cunha aqui", disse na ocasião o líder do PSOL, deputado Eduardo Braga (RJ).

Nesta quinta, Maia chegou a se irritar com um jornalista que fez uma pergunta sobre os cartazes. "É do jogo da política", disse ele sobre a atitude dos parlamentares.

Embora aliados afirmem que manterão a votação do texto na comissão especial na próxima semana, o requerimento aprovado abre brecha para que a votação seja feita diretamente no plenário.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos