Focado nas reformas, Temer não quer falar sobre projeto de abuso de autoridade

Tânia Monteiro e Carla Araújo

Brasília

O presidente Michel Temer não pretende se posicionar, pelo menos por enquanto, em relação ao projeto aprovado nesta quarta-feira, 26, no Senado, que determina punições mais severas ao abuso de autoridade de juízes, promotores e policiais.

Temer tem dito e repetido que apoia as investigações da Operação Lava Jato e que o governo não vai interferir nesta questão. Focado em temas cruciais para seu governo, que estão em debate, em fase de votação da Câmara dos deputados, como as reformas trabalhista e previdenciária, Temer ainda não teve tempo de se debruçar sobre o texto que trata da proposta de abuso de autoridade, que foi apreciada apenas pelo Senado.

Com isso, somente após o texto ser apreciado na Câmara e seguir para o Planalto para sanção, o que não tem data ainda para acontecer, o presidente Michel Temer pretende avaliá-lo. Anteriormente, o presidente havia demonstrado preocupação com a tramitação do projeto no Congresso.

O Planalto sabe que, se o projeto passar no Congresso e ele sancionar, ficará bem com os parlamentares e mal com a população, que defende investigações como a Lava Jato. Se vetar, Temer irá de encontro aos anseios da população, mas ficará mal com os parlamentares, de quem depende para aprovar projetos importantes que estão em tramitação nas duas Casas. Por isso mesmo, o ideal é que este assunto não chegue ao Planalto enquanto as reformas da previdência e trabalhistas estejam em votação, para não prejudicá-las.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos