A jornal argentino, Meirelles diz que é prematuro falar em candidatura para 2018

Carla Araújo, enviada especial

Mendoza

  • Sergio Lima / AFP

Em entrevista publicada nesta quinta-feira, 20, no jornal argentino La Nación, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, diz que é prematuro falar numa candidatura dele para as eleições presidenciais do ano que vem. Ele afirma acreditar que o presidente Michel Temer vai sobreviver à denúncia de corrupção passiva e diz ainda que as reformas da Previdência e tributária serão aprovadas ainda este ano.

Ao ser questionado se considerava a hipótese de se candidatar a presidente, Meirelles afirmou que "é prematuro falar sobre isso hoje, faltando um longo tempo". "A discussão de possíveis ou potenciais candidaturas hoje desvia o foco de atenção; agora é essencial trabalhar para o Brasil novamente crescer e consolidar o crescimento a partir de 2018", disse.

O ministro afirmou ainda que, mesmo com a denúncia contra Temer, ele não trabalha com a hipótese de uma mudança de presidente. "Eu acho que o presidente Temer vai permanecer no cargo e minha equipe está trabalhando normalmente, muito focada em questões econômicas", disse ao jornal argentino por telefone.

 

Meirelles afirmou que a economia brasileira está "em um caminho de recuperação sólida" e que o efeito prático das incertezas políticas sobre a economia "não é relevante". "O enfraquecimento da atividade econômica no segundo trimestre em comparação com o primeiro foi antes da eclosão da crise. Nosso crescimento do PIB previsto para este ano permanece em 0,5%, e mais importante que isso é a previsão de crescimento do final do ano passado em comparação com o final deste ano, cerca de 2%", disse. "Mercados reagiram com um monte de estabilidade a esta crise política, mesmo o real se valorizou em sua taxa de câmbio face às principais moedas, a taxa de juros continua a diminuir. A economia parece ter desapegado da crise política", completou.

Reformas

Ao ser indagado sobre a capacidade de o governo conseguir implementar as reformas da Previdência e tributária, Meirelles afirmou que a reforma trabalhista, já aprovada, foi um grande evento que gerou otimismo. O ministro disse ainda que as mudanças na legislação previdenciária e tributária são de longo prazo e não estão ligadas apenas ao governo, ou a um partido. "A reforma da Previdência é uma necessidade para o ajuste fiscal do País para garantir o crescimento econômico", disse. "Estou confiante de que as reformas serão votadas e aprovadas ainda este ano."

O ministro destacou ainda que, além da reforma da Previdência, há outras medidas que serão tomadas para garantir o equilíbrio orçamental nos próximos anos. "Há outras reformas microeconômicas destinadas a ter um aumento da taxa de crescimento potencial do País: mudanças na lei de recuperação judicial, uma mudança no mercado de crédito, redução da burocracia, simplificando os impostos", disse.

Mercosul

Amanhã, o ministro assinará um acordo bilateral com ministros argentinos sobre bitributação. O tema está sendo discutido hoje em reunião preliminar dos ministros da Fazenda, mas sem a participação de Meirelles, que está no Brasil e é representado pelo secretário de Assuntos Internacionais da Fazenda, Marcello Estevão.

Ao ser questionado sobre o acordo entre Mercosul e União Europeia e se era melhor que antes se chegasse a um acordo com a Aliança do Pacífico, o ministro destacou na entrevista que "em termos teóricos e genéricos, acordos comerciais são muito positivos, e certamente será o Mercosul-UE". "Mas tudo tem que ser negociado prontamente; deve haver concessões mútuas para ambos os lados", disse.

Meirelles afirmou ainda que vai depender dos termos do acordo, mas certamente ele será positivo para o Brasil. "E eu não acho que é necessário assinar um acordo com a Aliança do Pacífico antes", completou.

Meirelles chegará a Mendoza na comitiva de Temer. A chegada está prevista para esta noite por volta das 21 horas e o retorno para amanhã, às 15h45.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos