PUBLICIDADE
Topo

Maia diz que é "mais provável" que Lula se candidate do que não

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Imagem: Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

André Ítalo Rocha e Marcelo Osakabe

São Paulo

28/08/2017 21h20Atualizada em 05/09/2017 11h04

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta segunda-feira, 28, que considera a candidatura em 2018 do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva "mais provável do que não". O petista não conseguirá ser candidato caso seja condenado em segunda instância pela Justiça Federal. Ele foi condenado em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A declaração de Maia foi dada após pergunta sobre sua avaliação para o cenário eleitoral em 2018, em evento sobre renovação política em São Paulo, na sede do Insper. O presidente da Câmara disse ainda que o ex-presidente, caso seja candidato, vai fazer uma campanha mais radical à esquerda. "Ele vai querer criar um polo de radicalização para garantir a ida dele para o segundo turno", afirmou.

Maia comentou ainda que o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) terá dificuldades em disputar a eleição presidencial do ano que vem, por não ter espaço em partidos políticos com considerável tempo de televisão e não contar com apoio de lideranças políticas regionais. "Ainda acho que nessa eleição a televisão será relevante. E também acho que é importante ter um aeroporto onde aterrissar durante as campanhas, não adianta fazer evento com 3.000 pessoas e não ter ninguém lá para fazer a campanha para você, é um desafio que o Bolsonaro tem nesse processo", analisou.