PUBLICIDADE
Topo

Prefeitura de Atibaia diz que viação recolheu ônibus e assume transporte coletivo

Luiz Vassallo

São Paulo

07/04/2020 15h30

O prefeito de Atibaia, Saulo Pedroso (PSD), decretou intervenção e assumiu o controle do transporte público do município do interior paulista. Ele afirmou que a empresa Sou Atibaia, pertencente à Sancetur, da família Chedid, recolheu, durante uma madrugada, parte considerável dos ônibus e equipamentos das garagens da cidade.

"Em decreto publicado no domingo (5), a Prefeitura da Estância de Atibaia assumiu temporariamente a gestão da empresa concessionária do transporte coletivo no município, nomeando um interventor responsável por coordenar as atividades administrativas e operacionais de forma a garantir que os serviços prestados à população não sejam interrompidos", diz a Prefeitura.

Os ônibus de Atibaia são geridos pela Sou, empresa de um influente grupo político do interior. Atualmente, o patriarca, Jesus Abi Chedid, é prefeito de Bragança Paulista, cidade vizinha, onde exerce seu terceiro mandato - ele foi eleito pela primeira vez, em 1996. Seu filho, Edmir, é deputado estadual. Atualmente, a empresa está e nome de Marly Chedid, mãe de Marquinho, que foi vereador e presidente do Bragantino.

Segundo a Prefeitura, a "decisão da Prefeitura também levou em consideração o não cumprimento, por parte da empresa, das medidas sanitárias determinadas pela Administração Municipal para enfrentamento da pandemia de Coronavírus, as diversas reclamações dos usuários e o descumprimento sistemático de cláusulas do contrato de prestação de serviços registrados desde que a empresa venceu processo de licitação e assumiu a gestão do transporte coletivo na cidade".

Defesa

A empresa Sou Atibaia divulgou a seguinte nota de esclarecimento:

"A Sancetur - Sou Atibaia informa a todos os usuários do sistema que o serviço público de transporte coletivo no Município de Atibaia que recebeu com perplexidade a notícia publicada no site da Prefeitura de que foi/será decretada a intervenção da empresa. Primeiramente é de se ressaltar que a empresa ainda não foi notificada oficialmente de quaisquer medidas tomadas pela Prefeitura.

A surpresa se dá em razão de que o serviço prestado pela empresa nunca sofreu solução de descontinuidade, continuando a prestar o serviço no município com redução de frota em razão das medidas tomadas para não proliferação da Covid-19.

Conforme já informado em nota de esclarecimento anterior, bem como diversos ofícios encaminhados à Prefeitura, houve redução da frota em razão dos devastadores efeitos da pandemia causado pelo Covid-19.

Pela suspensão das atividades econômicas e pela orientação dos Governos para que as pessoas fiquem em casa pelo receio da proliferação do contágio do Covid-19, a quantidade de usuários do sistema público de transporte coletivo despencou para menos de 10% e a empresa tem que tomar suas medidas de redução de gastos para continuar existindo e prestando serviço, bem como tentando manter o emprego de nossos colaboradores.

Estamos seguindo orientações das autoridades para garantir o transporte no período de isolamento social, na medida das possibilidades econômicas em tratativas com a Prefeitura.

Voltamos a frisar que o serviço nunca foi interrompido, e a empresa NÃO ABANDONOU E NEM PRETENDE ABANDONAR A CIDADE, PASSAGEIROS E SEUS FUNCIONÁRIOS.

Também voltamos a frisar que, em razão da redução da frota, aproveitamos o período para conferir manutenção preventiva na frota que não será colocada em operação.

Conforme se verifica ao fundo do imóvel, existem diversos materiais adquiridos pela empresa, bem como obra civil em execução, para reforma do imóvel e construção de novo galpão para acomodar o almoxarifado e valetas de manutenção no imóvel ao lado, que também foi alugado pela empresa.

Tais medidas foram tomadas visando o melhor atendimento, bem como melhor logística interna da garagem, aumentando em aproximadamente 5 mil o terreno já existente.

Ora, qual empresa pretende abandonar a cidade, sendo que está fazendo obras de melhorias na parte de manutenção?

A frota que está alocada está dando pleno atendimento à população.

Evidente que, na medida de que os usuários forem retornando ao sistema haverá um proporcional aumento da frota em operação.

Repudiamos quaisquer atitudes tomadas pela Prefeitura neste momento em que todos estamos fragilizados em razão da Covid-19, tentando viabilizar a prestação de serviço para a população de Atibaia da melhor forma possível, e a Municipalidade fabricando uma possível intervenção na empresa.

Voltamos a ressaltar que a municipalidade estava ciente da redução da frota em face das medidas tomadas em face do Covid-19.

Temos compromisso de, durante esse período de crise de saúde, na medida do possível, prestar serviço público à população de Atibaia e das várias outras em que prestamos serviços, mesmo sofrendo com as inúmeras dificuldades financeiras decorrentes da queda de receita."

Cotidiano