Lula incentiva militância do PT a lançar candidaturas, mas ressalta importância de alianças

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) incentivou, em evento do PT sobre as eleições municipais do ano que vem, que os militantes petistas lancem suas candidaturas em 2024, mas que também saibam o momento de se aliarem com siglas de esquerda e de centro para serem competitivos.

Em um discurso que misturou incentivos e críticas construtivas aos aliados, Lula primeiro disse que as candidaturas são importantes mesmo quando as chances de ganhar são pequenas.

"As eleições municipais vão servir para a gente aprender a discutir na cidade. A gente tem condições de ter candidato a prefeito? Não precisa ter condições de ganhar. Candidatura não é importante só quando ganha. Pode fazer candidatura, perder e construir base para vitória no ano seguinte, mas é preciso que tenha coragem de escolher o melhor", afirmou, completando, em seguida: "Não pode ser briguinha interna do PT, tem que ser aquele que vai melhor defender o partido".

Depois, Lula adotou um tom mais pragmático. Defendeu que cada correligionário defina, a depender das situações locais, se é melhor fazer uma aliança para serem competitivos.

"Se a gente não tiver condições de ter uma candidatura competitiva, que possa olhar o nosso partido durante a campanha e procurar aliados para fazer acordo. Se não tem candidato, tem que apoiar o cara mais próximo de nós, disposto a construir uma linha programática junto conosco. A gente pode fazer as pessoas assumirem compromissos. A gente tem que fazer acordo com pessoas de esquerda", afirmou.

Segundo Lula, as realidades locais têm de ser analisadas pelos líderes municipais. "Não é o presidente da República que vai saber o que está acontecendo", disse.

O presidente defendeu, ainda, a escolha da deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) como presidente do PT. Disse que, no momento em que ela assumiu, em 2017, era preciso "falar para dentro", referindo-se à militância petista.

"Quando ela foi candidata a presidente, muita gente dizia que ela não podia ser candidata, que ela só fala para dentro e não fala para fora. Eu dizia que precisamos de alguém que fala para dentro, alguém que o PT respeite, goste, que trabalhe para o PT. Hoje posso dizer: graças a Deus você é a presidenta nacional do Partido dos Trabalhadores", disse Lula.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora