PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ebola já deixou mais de 3.700 crianças órfãs; número pode dobrar em outubro

30/09/2014 08h41

Pelo menos 3.700 crianças na Guiné, Libéria e Serra Leoa perderam os pais - ou um dos genitores - por causa da epidemia do vírus ebola, anunciou o Unicef nesta terça-feira (30).

Segundo as estimativas da entidade, esse número poderá dobrar na metade de outubro. De acordo com o diretor geral do Unicef para a África, Michel Fontaine, muitos órfãos vivem em condições "precárias". Ele esteve nos três países nos últimos dias e destacou que o número de crianças sem pais "aumentou nas últimas semanas".

Mais sobre o ebola

"Estas crianças precisam de atenção especial, pois muitos se sentem indesejados e abandonados. Em geral, as grandes famílias cuidam dos órfãos, mas o medo do vírus faz com que muitos deixem os pequenos de lado", disse Fontaine.   

O diretor ainda ressaltou que a grande maioria das crianças atingidas pelo vírus não tem à disposição medicamentos que as curem e que é "preciso mais coragem, criatividade e muita pesquisa" para ajudá-las. Até o momento, a Organização das Nações Unidas (ONU) recebeu 26% dos 988 milhões de euros que pediu à comunidade internacional para financiar a luta contra o ebola.   

No último balanço oficial sobre a doença, divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no dia 26 de setembro, 3.091 pessoas morreram por culpa da febre hemorrágica e 6.574 foram infectadas pelo vírus. (ANSA)

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.

Saiba mais sobre ebola

  • O que é o ebola?

    A doença é causada pelo vírus ebola e, no surto atual, já matou quase a metade dos pacientes diagnosticados com a doença. Tem sintomas como febre, vômito, diarreia e hemorragia.

  • Como se contrai o vírus?

    O ebola é transmitido pelo contato direto com sangue e fluídos corporais (suor, urina, fezes e sêmen) de pessoas contaminadas e de tecidos de animais infectados.

  • Quais países têm mais casos de ebola?

    Guiné, Libéria e Serra Leoa vivem surtos de ebola. Na Nigéria houve casos da doença, mas o vírus deixou de ser ameaça no país. EUA e alguns países europeus resgataram compatriotas infectados para tratamento.

  • Quem tem mais risco de contrair a doença?

    Parentes dos pacientes e os profissionais de saúde que tratam os pacientes com ebola são os indivíduos em maior situação de risco. Mas, qualquer pessoa que se aproxime de infectados ou de seus corpos sem vida se coloca em risco.

  • O ebola tem cura?

    Não há remédio que cure o ebola propriamente. Existem apenas medicamentos e vacinas experimentais sendo testadas no Canadá, nos Estados Unidos e na África, que surtiram o efeito desejado, isto é, zeraram a carga viral dos infectados. Quem sobreviveu ao tratamento continuará sendo monitorado por um tempo.

Internacional