Topo

Ebola já deixou mais de 3.700 crianças órfãs; número pode dobrar em outubro

2014-09-30T08:41:00

30/09/2014 08h41

Pelo menos 3.700 crianças na Guiné, Libéria e Serra Leoa perderam os pais - ou um dos genitores - por causa da epidemia do vírus ebola, anunciou o Unicef nesta terça-feira (30).

Segundo as estimativas da entidade, esse número poderá dobrar na metade de outubro. De acordo com o diretor geral do Unicef para a África, Michel Fontaine, muitos órfãos vivem em condições "precárias". Ele esteve nos três países nos últimos dias e destacou que o número de crianças sem pais "aumentou nas últimas semanas".

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-lista','/2014/leia-mais-sobre-o-ebola-1406136364578.vm')

"Estas crianças precisam de atenção especial, pois muitos se sentem indesejados e abandonados. Em geral, as grandes famílias cuidam dos órfãos, mas o medo do vírus faz com que muitos deixem os pequenos de lado", disse Fontaine.   

O diretor ainda ressaltou que a grande maioria das crianças atingidas pelo vírus não tem à disposição medicamentos que as curem e que é "preciso mais coragem, criatividade e muita pesquisa" para ajudá-las. Até o momento, a Organização das Nações Unidas (ONU) recebeu 26% dos 988 milhões de euros que pediu à comunidade internacional para financiar a luta contra o ebola.   

No último balanço oficial sobre a doença, divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no dia 26 de setembro, 3.091 pessoas morreram por culpa da febre hemorrágica e 6.574 foram infectadas pelo vírus. (ANSA)

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('embed-lista','/2014/saiba-mais-sobre-ebola-1408478165378.vm')

Mais Internacional