Suspeito de ataque no Canadá é fã de Trump e Le Pen

WASHINGTON, 30 JAN (ANSA) - Suspeito de cometer o atentado que matou seis pessoas em uma mesquita de Quebec, no Canadá, o franco-canadense Alexandre Bissonnette é admirador do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e da líder ultranacionalista francesa Marine Le Pen.   

Segundo Rita Katz, diretora do "Site", portal que monitora a atividade de extremistas na web, Bissonnette "curte" as páginas dos dois políticos no Facebook, assim como das Forças de Defesa de Israel, o que torna "improvável" uma ligação com o jihadismo.   

Recentemente, supremacistas brancos norte-americanos disseminaram na web um pronunciamento de Le Pen no qual ela diz que o "nacionalismo está voltando". A representante do partido Frente Nacional (FN) lidera as pesquisas para o primeiro turno das eleições presidenciais na França, com um discurso eurocético e contrário à imigração.   

Já Trump chegou à Casa Branca com uma plataforma protecionista e nacionalista, que se manteve após sua posse. No fim da semana passada, o presidente assinou um decreto proibindo a entrada nos EUA de cidadãos provenientes de sete países de maioria muçulmana: Irã, Iraque, Síria, Iêmen, Somália, Sudão e Líbia.   

Bissonnette, um estudante de ciências políticas de 27 anos, é o único suspeito preso após o atentado em Quebec e não tinha passagens pela polícia. A mesquita fica no Centro Cultural Islâmico da cidade canadense e já tinha sido alvo de ameaças. Em junho de 2016, uma cabeça de porco foi deixada na entrada do local, com a frase "bom apetite" - muçulmanos não comem carne de porco. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos