PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Enviado do Papa conclui missão para apurar pedofilia no Chile

28/02/2018 19h28

SANTIAGO, 28 FEV (ANSA) - O arcebispo de Malta, Charles Scicluna, enviado pelo Papa Francisco ao Chile para investigar casos de pedofilia no país, concluiu sua missão nesta quarta-feira (28).   

Scicluna chegou em Santiago em 19 de fevereiro, depois de ter se encontrado com uma das mais conhecidas vítimas chilenas, Juan Carlos Cruz, abusado pelo padre Fernando Karadima.   

Durante sua visita, ele ouviu vítimas e se reuniu com o arcebispo de Santiago, Ricardo Ezzati. Na cidade, o enviado do Papa também se encontrou com o médico James Hamilton e com o filósofo Andres Murillo, que, junto a Cruz, conduzem a luta contra a impunidade de sacerdotes acusados de abuso e dos membros da Igreja que os protegeram.   

Scicluna analisou especificamente o caso do bispo Juan Barros Madrid, acusado de acobertar episódios de pedofilia cometidos por Karadima. O escândalo abalou a Igreja Católica no Chile e levou a diversos protestos contra a visita de Francisco, que aconteceu em janeiro.   

Em seu último dia de viagem ao país, o Pontífice chegou a defender Barros publicamente, dizendo que "não havia provas" contra ele e que tudo não passava de "calúnia". Pouco depois, o líder da Igreja Católica se desculpou e decidiu enviar Scicluna para investigar as denúncias. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional