PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Governo da Hungria sanciona polêmica 'lei dos escravos'

21/12/2018 17h15

SÃO PAULO, 21 DEZ (ANSA) - O presidente da Hungria, János Áder, sancionou nesta quinta-feira (20) a controversa nova lei trabalhista do governo do primeiro-ministro de extrema-direita, Viktor Orbán, que gerou uma série de protestos no país. "Constatei que a lei não limita as disposições em defesa dos trabalhadores", argumentou Áder em nota divulgada pela presidência.   

A nova lei trabalhista permite que os empregadores atrasem o pagamento por três anos e exijam até 400 horas-extras por ano.   

Anteriormente, este número era de 250 horas. Com a medida, os cidadãos poderão trabalhar seis dias por semana. Além disso, o governo ainda aprovou uma lei que estabelece novos tribunais administrativos para responder ao governo. Eles serão responsáveis de dar tratativas a temas como a lei eleitoral, protestos e acusações de corrupção. Após a aprovação da lei, uma série de protestos foi organizada em Budapeste e outras cidades do país. As manifestações uniram oposição, sindicatos e organizações civis.   

O governo, por sua vez, afirma que a reforma trabalhista beneficiará os trabalhadores, bem como as empresas que precisam preencher uma escassez de mão de obra. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional