PUBLICIDADE
Topo

Diretor de 'Bohemian Rhapsody' é acusado de abuso

24/01/2019 18h08

NOVA YORK, 24 JAN (ANSA) - Na semana em que "Bohemian Rhapsody" conquistou cinco indicações ao Oscar, o diretor do filme, Bryan Singer, enfrenta quatro novas acusações de abuso sexual. As denúncias foram publicadas nesta quarta-feira (23) pela revista americana The Atlantic e inclui depoimentos das vítimas.   


O artigo traz o nome de Victor Valdovinos, que alega ter trabalhado como figurante no filme "O Aprendiz", dirigido por Singer em 1998. Segundo o denunciante, o cineasta apalpou seus órgãos genitais quando ele tinha 15 anos. Desde então, Valdovinos passou um ano preso por posse de drogas, e sua carreira foi descrita como "perda de um trabalho atrás do outro". Na entrevista, ele se questiona: "Se ele nunca tivesse feito isso comigo, eu seria uma pessoa diferente?".   


Os outros três acusadores são identificados por pseudônimos: Andy, que também teria sido abusado com 15 anos; Eric, que alega ter iniciado um caso com o cineasta aos 17, quando Singer tinha 31; e Ben, que teria feito sexo oral em Singer quanto tinha 17 anos. "Ele era predatório no sentido de que dava álcool e drogas para as pessoas e então fazia sexo com elas", relatou um dos acusadores. "Ele enfiava a mão nas calças das pessoas e apalpava sem consentimento." Em sua defesa, Singer publicou uma nota dizendo que as acusações fazem parte de uma campanha homofóbica. "Na última vez que falei sobre esse assunto, a revista Esquire estava preparando um artigo sobre mim, escrito por um jornalista homofóbico que tinha uma obsessão bizarra por quem eu namorava em 1997", escreveu o diretor.   


"Depois de uma cuidadosa apuração, e considerando a falta de fontes confiáveis, a Esquire escolheu não publicar esse jornalismo de vingança. Entretanto isso não impediu o autor de vender a matéria para The Atlantic. É triste que The Atlantic aceite um nível tão baixo de integridade jornalística", acrescentou.   


Singer coleciona acusações de assédio envolvendo menores de idade. Em 2014, Michael Egan processou o diretor, alegando que ele o teria estuprado várias vezes em uma viagem ao Havaí.   


Depois de notadas algumas inconsistências na história de Egan, a acusação foi retirada. Já em 2017, Cesar Sanchez-Guzman processou Singer por um estupro que teria acontecido em 2003, durante uma festa. A ação ainda tramita na Justiça americana.   


Bryan Singer foi demitido de "Bohemian Rhapsody" duas semanas antes do fim das filmagens, por atrasos e conflitos com a equipe. Ainda que tenha sido substituído, ele ficou com o crédito final da direção do longa. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.