PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
7 meses

Joe Biden condena Donald Trump por minimizar riscos de covid-19 nos EUA

À CNN, democrata disse que adversário agiu de forma "nojenta" e "quase criminosa" - Olivier DOULIERY / AFP
À CNN, democrata disse que adversário agiu de forma "nojenta" e "quase criminosa" Imagem: Olivier DOULIERY / AFP

Da ANSA, em Washington (EUA)

10/09/2020 17h44

O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, condenou o comportamento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ao esconder dos americanos a verdadeira extensão dos riscos do novo coronavírus Sars-CoV-2.

Durante entrevista exclusiva à CNN na noite de ontem, Biden disse que o republicano agiu de forma "nojenta" e "quase criminosa".

A declaração foi dada após um trecho do livro "Rage" ("Raiva"), do jornalista Bob Woodward, revelar que Trump sabia que a covid-19 era altamente contagiosa e mais mortal do que a gripe, mas decidiu minimizar os perigos da doença para evitar o pânico.

"Era tudo para garantir que o mercado não quebrasse, que seus amigos ricos não perdessem nenhum dinheiro e que ele pudesse dizer que o que quer que acontecesse não tinha nada a ver com ele", acusou Biden.

Segundo o democrata, o presidente americano "levantou a bandeira branca, não fez absolutamente nada". "Pense no que ele não fez, é quase um crime".

Hoje, durante coletiva de imprensa na Casa Branca, Trump foi questionado sobre o livro e atacou um jornalista da ABC. "Não menti. O que eu disse é que não devemos entrar em pânico", afirmou ele, ressaltando que a pergunta "é infeliz".

O magnata também defendeu sua decisão de minimizar os riscos da covid-19, dizendo que suas respostas ao jornalista foram "adequadas".

Woodward, conhecido por suas reportagens sobre o escândalo Watergate, entrevistou Trump 18 vezes de dezembro a julho. A obra será lançada no próximo dia 15 de setembro.

Coronavírus