PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
1 mês

Rússia bombardeia depósito de armas do Ocidente perto de Kiev

21/05/2022 09h10

A Rússia anunciou neste sábado (21) ter atacado e destruído um depósito de armas enviadas pelos Estados Unidos e União Europeia (UE) à Ucrânia localizado próximo a Kiev.

O bombardeio na região de Zhytomyr foi revelado pelo porta-voz do Ministério da Defesa de Moscou, Igor Konashenkov, durante uma coletiva de imprensa, citada pela agência Interfax.

"Mísseis de precisão de longo alcance baseados no mar Kalibr destruíram um grande lote de armas e equipamentos militares entregues pelos EUA e países europeus às tropas ucranianas em Donbass, perto da estação ferroviária de Malyn, na região ocidental de Zhytomyr", disse ele.

O governo russo alega ter lançado os mísseis de cruzeiro de uma fragata da frota de Moscou do Mar Negro, que "atingiu o local ucraniano com um grande suprimento de armas e equipamentos militares". Konashenkov também publicou o vídeo do lançamento do míssil.

A destruição de armamento que países ocidentais têm enviado para ajudar a Ucrânia a combater a invasão das tropas do presidente da Rússia, Vladimir Putin, tornou-se o novo foco de Moscou na guerra.

O Kremlin tem ameaçado de retaliação qualquer país que auxiliar os combatentes de Volodymyr Zelensky e ressaltou que planejava uma resposta aos envios de armas e às sanções impostas pelo Ocidente ao seu país.

Hoje, inclusive, o Reino Unido anunciou que começou a discutir com seus aliados internacionais sobre o envio de armas modernas à Moldávia para que possa se proteger da Rússia.

Segundo os serviços de inteligência ocidentais, a Rússia não vai se limitar à Ucrânia e deve estender a guerra até a Transnístria, território separatista pró-Moscou situado na Moldávia.

Em entrevista ao Telegraph, a ministra britânica das Relações Exteriores, Liz Truss, disse que "deseja ver o país, que está localizado no sudoeste da Ucrânia, equipado de acordo com os padrões da Otan".

"Putin foi absolutamente claro sobre suas ambições de criar uma grande Rússia, e só porque suas tentativas de tomar Kiev não tiveram sucesso não significa que ele abandonou essas ambições", afirmou Truss.

A ministra britânica indicou que, se os planos forem adotados, os membros da aliança militar da Otan fornecerão à Moldávia armas modernas, substituindo os equipamentos da era soviética, e treinarão soldados para usá-las.

A Moldávia, a sudoeste da Ucrânia, não é membro da Otan e há temores de que possa ser o próximo alvo de Putin depois da Ucrânia.