Em busca por ouro, Brasil luta contra 'emergentes' no vôlei de praia masculino

A dupla brasileira Emanuel Rêgo e Alison Cerutti venceu os letões Martins Plavins e Janis Smedins nesta terça-feira e avançou para a final do vôlei de praia masculino, em Londres 2012, onde enfrentará os alemães Julius Brink e Jonas Reckermann na quinta-feira, valendo ouro olímpico.

O inusitado nesta fase final da competição é a presença de alemães, letões e holandeses ao lado dos brasileiros. Desde que o vôlei de praia foi incorporado aos Jogos Olímpicos, em 1996, Brasil e Estados Unidos dominam o quadro de medalhas no esporte - tanto no masculino quanto no feminino.

Em Londres, pela primeira vez na história das Olimpíadas, as duas duplas americanas do masculino sequer ficaram entre os quatro finalistas. Os campeões olímpicos de Pequim 2008, Phil Dalhausser e Todd Rogers, caíram logo nas oitavas-de-final para os italianos Paolo Nicolai e Daniele Lupo. O outro par dos Estados Unidos, Jacob Gibb e Sean Rosenthal, perdeu nas quartas para os letões que foram eliminados por Emanuel e Alison nesta terça.

A outra dupla brasileira, Ricardo e Pedro Cunha, perdeu para os jogadores da Alemanha, país cujo melhor resultado no vôlei de praia olímpico é uma medalha de bronze, em Sydney 2000.

Europeus

O veterano jogador brasileiro Emanuel Rêgo, de 39 anos, acredita que a mudança no esporte é fruto de uma renovação de gerações de jogadores em cada país.

Além disso, Emanuel diz que o esporte passou a receber investimentos na Europa, que hoje tem condições de fazer frente a brasileiros e americanos.

"Os países que sempre estavam no topo - americanos e brasileiros - estão um pouco por baixo, porque os europeus se desenvolveram. Hoje eles têm mais campeonatos, mais profissionais, como técnicos, fisioterapeutas e tudo mais. Acho que os europeus alcançaram o Brasil e os Estados Unidos", disse Emanuel, após vencer a dupla da Letônia.

O atleta está em sua quinta olimpíada e é uma das referências no esporte, tendo sido eleito o melhor jogador da década pela federação internacional de vôlei. Com a classificação para a final, ele pode superar seu ex-parceiro, Ricardo Santos, como maior medalhista olímpico brasileiro da história do vôlei de praia.

Alison e Emanuel chegaram à final ao vencer com facilidade os letões Plavins e Smedins na terça-feira. Os brasileiros só tiveram dificuldades no final do segundo set, mas ainda assim não precisaram salvar nenhum set point.

Brasil e Letônia começaram a partida sem grandes vantagens, até Alison começar a pontuar com seu eficiente bloqueio, abrindo 11 a 6. Logo em seguida, em um dos rallys mais bonitos da partida, Emanuel salvou uma bola que parecia impossível, bloqueou duas vezes o ataque dos letões e levou o ponto.

A Letônia não se recuperou mais no set, que acabou 21-15 para os brasileiros, em novo bloqueio de Alison.

O segundo set começou de forma mais equilibrada, com Plavin e Smedins antecipando os ataques de Emanuel e Alison, e se posicionando mais atrás para poder contra-atacar.

Em um momento decisivo do segundo set, Alison e Emanuel conseguiram salvar uma bola difícil, mas Alison acabou errando e cortando na rede, o que permitiu que Plavins e Smedins empatassem em 10-10.

O erro foi importante para Emanuel e Alison recuperarem a concentração. Depois do empate, eles foram precisos nas recepções e nas cortadas, abrindo cinco pontos de vantagem. Os letões ainda conseguiram encostar na dupla brasileira no final, mas acabaram derrotados por 22-20.

Emanuel disse à BBC que diante de uma dupla menos tradicional na final do vôlei de praia, ele não se importa de entrar na quadra sendo visto como favorito.

"Sabe de uma coisa? Acho que este é o jeito brasileiro. Nós gostamos disso. Nós gostamos de estar lá, ouvindo a multidão gritar o nome do Brasil. Mas também acho que desta vez será duro [vencer a final]", disse Emanuel, prevendo uma final difícil contra os alemães, antes mesmo de saber quem havia vencido a outra semifinal.

Brink e Reckermann, que derrotaram Ricardo e Pedro Cunha nas quartas-de-final, chamaram atenção internacional em 2009, quando se tornaram a primeira dupla europeia a conquistar um campeonato mundial.

Briga por bronze no feminino

No feminino, a dupla brasileira Juliana e Larissa terá de disputar o bronze contra a dupla chinesa Xue Chen e Zhang Xi. Nesta terça-feira, as brasileiras - que chegaram à Londres 2012 no topo do ranking olímpico feminino - foram derrotadas de virada pelas americanas April Ross e Jennifer Kessy por 2 sets a 0.

À noite, sob fortíssima chuva e temperaturas de até 16 graus, Juliana e Larissa entraram no estádio de Horse Guards Parade para lutar por suas vagas na final.

Elas tiveram um primeiro set equilibrado com as americanas April Ross e Jennifer Kessy, se revezando por diversas vezes na liderança. Após um tempo técnico, as brasileiras voltaram arrasando, e com pontos decisivos em cortadas de Larissa, o Brasil conseguiu abrir uma vantagem, de 16-12. As americanas se desconcentraram e não conseguiram mais se recuperar no set, que terminou 21-15 para Juliana e Larissa.

No dramático segundo set, brasileiras e americanas se mantiveram vivas na disputa até o final, chegando a empatar em 19 a 19. No último ponto do set, Ross conseguiu defender uma potente cortada de Juliana e responder com um forte ataque, fechando em 21-19 para os Estados Unidos.

No terceiro set conseguiu ser ainda mais emocionante. Kessy e Ross abriram vantagem, mas deixaram as brasileiras encostarem em 11-10. Uma sequência de erros e azar restabeleceu a vantagem para as americanas. Primeiro Larissa cortou para fora, após uma bela recuperação das americanas. Em seguida, Kessy cortou na rede, mas a bola caiu dentro do lado brasileiro, dando o set point às americanas.

Larissa e Juliana ainda salvaram dois set points, mas acabaram eliminadas das Olimpíadas ao perderem o decisivo tie-break por 15-12.

Se no vôlei de praia masculino, os Estados Unidos não chegaram nem perto do pódio, no feminino o país já assegurou ouro e prata. As americanas mostraram que são as rainhas soberanas da modalidade.

Kessy e Ross terão pela frente as bicampeãs olímpicas Kerri Walsh e Misty May-Treanor, que dominam o esporte nos Jogos há oito anos. Em Atenas 2004 e Pequim 2008, Walsh e May não só derrotaram todas as duplas brasileiras como viram pela frente, como também conseguiram se sagrar campeãs sem perder nenhum set para ninguém.

Apenas em Londres 2012, ainda em jogo da primeira rodada contra as irmãs austríacas Stefanie e Doris Schwaiger, Walsh e May-Treanor perderam o primeiro set em disputa olímpica em oito anos.

Nesta terça-feira, no estádio montado em Horse Guards Parade, em Londres, Walsh e May-Treanor deram sinais de que não são tão imbatíveis. Apesar de vencerem a dupla chinesa Xue e Zhang por 2 sets a 0, precisaram levar ambos os sets para 22-20

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos