'Pelo menos no céu ele vai ter comida': o drama das crianças sírias em meio aos bombardeios

Moradores da região de Ghouta, no leste de Damasco, capital da Síria, continuam sofrendo os efeitos devastadores da guerra civil no país.

Ali, as crianças são as mais afetadas.

Um recente bombardeio realizado pelo governo sírio durante cinco dias seguidos teria deixado mais de 300 civis mortos na área, ainda controlada pelos rebeldes.
Cerca de 400 mil pessoas vivem em Ghouta.

Em um vídeo obtido pela BBC, duas crianças, Noor e Alaa, aparecem logo após um ataque aéreo atingir a casa delas.

"Nossa casa foi bombardeada. Ajudem Ghouta!", dizem elas.

Segundo a médica Amani Balour, que cuidou dos feridos da última ofensiva aérea do governo, "Ghouta está sendo destruída".

"Nos ataques, as tropas do governo usam vários tipos de armamento. Estamos destruídos, mentalmente e emocionalmente", diz ela.

"Não há nada mais que possamos fazer; estamos sangrando até morrer", completa.

Segundo estimativas do Centro Sírio para Pesquisa Política (SCPR, na sigla em inglês), 470 mil pessoas já morreram desde o início da guerra civil, em 2011.

Outras 5 milhões já deixaram o país, calcula o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos