PUBLICIDADE
Topo

Empregada passa quase 3 dias presa em elevador de mansão de bilionário nos EUA

Empregada é encontrada três dias depois dentro de elevador, em Nova York - Google maps
Empregada é encontrada três dias depois dentro de elevador, em Nova York Imagem: Google maps

29/01/2019 07h37

Uma mulher passou três noites presa no elevador da mansão onde trabalha em Nova York. Marites Fortaliza, de 53 anos, pegou o elevador na sexta-feira à noite, mas só foi resgatada pelos bombeiros na manhã de segunda-feira.

Os moradores da casa, que pertence ao banqueiro Warren Stephens, estavam viajando no fim de semana e não havia mais ninguém no imóvel, localizado no Upper East Side, perto do Central Park, em Manhattan.

Após o resgate, Fortaliza foi levada para o Centro Médico Weill Cornell, onde se recupera. De acordo com a imprensa local, Fortaliza foi resgatada na manhã de segunda-feira depois que um entregador foi até a residência e ficou preocupado quando ninguém atendeu a porta.

Ele teria acionado então os proprietários da casa, que enviaram um membro da família para o local - ele teria chamado os bombeiros. Fortaliza estava presa entre o segundo e terceiro andar da casa - os bombeiros precisaram forçar a abertura da porta do elevador para resgatá-la.

Segundo o jornal americano The New York Times, um vizinho contou que ela parecia consciente e calma quando foi retirada de maca do prédio. Apesar de estar desidratada, seu estado de saúde é considerado estável.

"Ela é um membro muito estimado da família Stephens há 18 anos", declarou a família Stephens em nota, reproduzida pela agência de notícias Associated Press. Stephens é presidente da Stephens Inc, banco de investimentos sediado em Little Rock, no Arkansas.

A causa do incidente ainda está sendo investigada. Segundo a CNN, o Departamento de Construções de Nova York informou que o elevador passou por uma vistoria em julho e nenhuma violação foi constatada na ocasião. O órgão acrescenta que elevadores privados em residências devem passar pelo menos por uma vistoria anual.

Mas, de acordo com a imprensa local, o departamento emitiu uma notificação de violação depois que funcionários do órgão teriam sido impedidos de inspecionar o elevador após o resgate de Fortaliza.