Contra Portugal, França tenta o tri em casa

Philip Verminnen

Franceses, invictos em todos os torneios que já sediaram, chegam à final da Eurocopa com retrospecto favorável: não perdem há quatro décadas para os portugueses. Cristiano Ronaldo, porém, gosta de quebrar marcas.

França e Portugal fazem, neste domingo (10/07), a final da Eurocopa 2016, no Stade de France. É o confronto da poderosa anfitriã Équipe Tricolore contra uma surpreendente Seleção das Quinas, que busca seu primeiro título adulto. Será o duelo do que, para muitos, é o melhor meio-campo do futebol mundial frente ao show de um homem só. E pode vir a ser a revanche do "quase português" Antoine Griezmann contra o craque português Cristiano Ronaldo.

Historicamente, as estatísticas são amplamente favoráveis à seleção francesa. Em confrontos direitos, goleada da Équipe Tricolore: 18 vitórias, um empate e cinco derrotas. A supremacia francesa é tamanha, que o último triunfo português ocorreu há mais de 40 anos. Nenhum jogador que estará em campo no Stade de France já era nascido quando Portugal venceu, por 2 a 0, um amistoso em 26 de abril de 1975.

Curiosidade e alento aos franceses supersticiosos: a França venceu as três partidas contra Portugal em grandes torneios. Além da vitória por 1 a 0 na Copa do Mundo de 2006, os franceses foram superiores nos dois confrontos em Eurocopas. Detalhe: as vitórias (ambas na prorrogação) foram nas duas únicas edições em que a França conquistou a Eurocopa - 1984 e 2000. Ou seja, sempre que enfrentou Portugal, a França foi campeã europeia.

O capitão da conquista de 2000 era Didier Deschamps, o atual treinador da Équipe Tricolore. Ele, por sinal, pode ser tornar o segundo a conquistar a Eurocopa como jogador e treinador - façanha alcançada somente pelo alemão Berti Vogts, campeão europeu em 1972 e 1996.

Apesar do favoritismo, Deschamps manteve a cautela: "Na final, temos nossas chances, e Portugal tem as chances deles. Não é por sermos anfitriões que teremos qualquer tipo de poder a mais. Os portugueses acreditam neles mesmos, nós acreditamos em nós. Está tudo em aberto."

Apenas quatro anfitriões alcançaram a final em Eurocopas: Espanha (1964), Itália (1968) e justamente os dois finalistas desta edição. Se a França é o último país-sede que levantou a taça europeia, em 1984, Portugal é justamente o único anfitrião que vivenciou o desgosto da derrota numa final em seu território, após inesperada vitória da Grécia, em 2004.

Dois portugueses que estavam em campo no Estádio da Luz, em 4 de julho de 2004, podem se redimir no Stade de France: Ricardo Carvalho e Cristiano Ronaldo. Mas para darem a Portugal seu primeiro título no futebol adulto, os jogadores terão de quebrar um tabu: a França está invicta nas últimas três competições que sediou (Eurocopas de 1984 e 2016 e a Copa do Mundo de 1998): 16 vitórias e dois empates.

Mas quebrar tabus e estabelecer novas marcas no futebol atraem Cristiano Ronaldo. O craque português - recordista de gols, de jogos e de semifinais de Eurocopas - conseguiu levar a limitada seleção portuguesa à decisão da Eurocopa 2016. Na campanha sofrida, Portugal venceu apenas a semifinal contra o País de Gales. Com cincos empates na competição, chegou a ficar atrás da Islândia na fase de grupos.

Agora, Cristiano Ronaldo enfrenta o que, para muitos, é o melhor meio-campo do futebol mundial. Somando titulares e reservas, Deschamps possui ótimas opções para anular as construções ofensivas do adversário. Além da estrela Paul Pogba, os volantes Blaise Matuidi, Moussa Sissoko e N'Golo Kanté e os meias Dimitri Payet, Yohan Cabaye e Kingsley Coman são todos nomes de destaque mundial, muitos campeões nacionais com seus clubes.

A final da Eurocopa é também o reencontro de Cristiano Ronaldo e Pepe com o atacante francês Antoine Griezmann. A dupla portuguesa levou a melhor na decisão da Liga dos Campeões, em maio, quando o Real Madrid superou o arquirrival Atlético de Madri nos pênaltis. Em competições de clubes, Cristiano Ronaldo é muito mais bem-sucedido do que Griezmann. Mas o francês tem algo que o português não tem: um título com a seleção nacional - a Eurocopa sub-19 de 2010, é verdade.

E esse confronto por pouco nem seria possível. Griezmann, artilheiro isolado da Eurocopa e titular absoluto da seleção francesa, podia estar trocando passes com Cristiano Ronaldo e Nani no Stade de France. Após receber uma suspensão de mais de um ano da Federação Francesa de Futebol, por ter sido flagrado numa balada com companheiros da seleção sub-20, em 2012, Griezmann chegou a conversar com dirigentes portugueses e cogitou pedir a cidadania do país.

Griezmann possui sangue lusitano. A família de sua mãe é portuguesa. Seu avô, Amaro Lopes, por sinal, foi jogador de futebol e um dos grandes ídolos da história do clube Paços de Ferreira, clube que está na primeira divisão do futebol português. Lopes se mudou para a França, no final da década de 1950. A mãe de Griezmann nasceu em solo francês.

Antoine Griezmann e Cristiano Ronaldo: quem for campeão da Eurocopa, neste domingo, somará pontos na disputa de melhor jogador do mundo, a Bola de Ouro, em janeiro. Além disso, o título europeu representa também uma bolada para os cofres das federações: a França pode receber da Uefa 26,5 milhões de euros, Portugal, 25,5 milhões de euros.

Por que a diferença? A premiação da Uefa é distribuída da seguinte forma: 8 milhões pela participação + 1 milhão por vitória na fase de grupos (empate dá 500 mil) + 1,5 milhão por chegar às oitavas de final + 2,5 milhões pelas quartas de final + 4 milhões pela semifinal. O vice-campeão recebe mais 5 milhões - o campeão fica com 8 milhões.

Os três jogos oficiais entre França e Portugal:

Eurocopa 1984, na França

Semifinal - 23.06.1984

França 1x1 Portugal - no tempo normal - França 3x2 Portugal, após a prorrogação

Eurocopa 2000, na Bélgica

Semifinal - 28.06.2000

França 1x1 Portugal - no tempo normal - França 2x1 Portugal, após a prorrogação

Nos pênaltis: Alemanha 5x4 França

Copa do Mundo 2006, na Alemanha

Semifinal - 05.07.2006

França 1x0 Portugal

Prováveis escalações:

Portugal:Rui Patrício; Cédric, José Fonte, Pepe e Raphael Guerreiro; Daniloe Pereira; Reranto Sanches, Adrien Silva e João Mário;. Nani e Cristiano Ronaldo.

França: Hugo Lloris; Bacary Sagna, Samuel Umtiti, Laurent Koscielny e Patrice Evra; Blaise Matuidi e Paul Pogba; Moussa Sissoko, Dimitri Payet e Antoine Griezmann; Olivier Giroud.

Local: Stade de France, em Saint-Denis.

Horário: 16h (horário de Brasília).

Arbitragem: Mark Clattenburg (Inglaterra).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos