Começa retirada de área rebelde no leste de Aleppo

  • Omar Sanadiki/ Reuters

    Ônibus aguardam para iniciar a retirada de pessoas de áreas rebeldes de Aleppo

    Ônibus aguardam para iniciar a retirada de pessoas de áreas rebeldes de Aleppo

Feridos e doentes são os primeiros a serem retirados de enclaves rebeldes no leste da cidade síria, após novo cessar-fogo entre governo e forças oposicionistas entrar em vigor.

A retirada de civis e rebeldes da área oriental de Aleppo começou nesta quinta-feira (15), após o anúncio de um novo cessar-fogo, confirmaram organizações humanitárias e jornalistas que estão na cidade.

Segundo um repórter da agência de notícias Reuters, mais de 20 ônibus entraram na área dominada pelos rebeldes no início da manhã. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha confirmou que cerca de 200 feridos já estão sendo retirados.

Tanto representantes dos rebeldes como do governo confirmaram que inicialmente serão retirados feridos e doentes, depois cidadãos civis e por fim combatentes rebeldes. A Rússia afirmou que autoridades da Síria garantiram a segurança de todos os combatentes que resolverem deixar Aleppo e que eles serão levados para a província de Idlib, quase toda controlada por grupos rebeldes.

Após o fracasso do cessar-fogo temporário que deveria permitir a retirada do último enclave dominado pelos insurgentes no leste de Aleppo, uma nova trégua entre grupos de oposição e forças do regime sírio entrou em vigor nesta quinta-feira. Líderes rebeldes confirmaram o novo acordo.

Uma emissora estatal síria informou que ao menos 4 mil rebeldes e suas famílias serão retirados do leste de Aleppo, além de 9 mil civis. "Todos os procedimentos para a retirada estão prontos", informou a emissora. Militares russos disseram que 5 mil rebeldes e seus familiares serão retirados e que foi aberto um corredor de 21 quilômetros.

O porta-voz da presidência da Turquia, um dos países que atuam na mediação entre o regime e grupos rebeldes, afirmou que a retirada de civis e combatentes foi iniciada nesta manhã, apesar de relatos de tiroteios na região. "A saída de Aleppo está começando. Tomamos todas as precauções em Idlib e na parte turca [da fronteira]. Esperamos por nossos irmãos e irmãs", disse Ibrahim Kalin, através do Twitter.

A emissora pública turca TRT informou que os primeiros ônibus já deixaram Aleppo e a agência estatal de notícias Anadolu disse que três pessoas ficaram feridas após disparos feitos por milícias xiitas contra um comboio de civis.

Outros relatos afirmam que forças pró-Síria abriram fogo contra um comboio que deixava o leste de Aleppo, durante a primeira etapa da retirada. "O comboio foi alvejado pelas forças do regime, temos três feridos, um deles da Defesa Civil. Eles foram levados de volta para as áreas sitiadas", afirmou o chefe do serviço de ambulâncias no local.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos disse que as ambulâncias ainda estavam no território rebelde quando foram alvejadas. Os feridos e as demais pessoas que estavam no comboio serão retirados do local com a ajuda da organização humanitária Crescente Vermelho, afirmou o Observatório.

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos