Freios automáticos pararam caminhão em Berlim, diz imprensa alemã

Sistema de frenagem automática foi ativado depois de detectar uma colisão, segundo investigação de mídia alemã. Em 2012, UE adotou regulamentação que exige tal equipamento em veículos com mais de 3,5 toneladas.O caminhão que avançou contra um mercado natalino em Berlim parou devido a um sistema de travagem automática, segundo relatos da imprensa alemã nesta quarta-feira (28/12). O sistema provavelmente salvou a vida de muitas pessoas no ataque, que matou 12 pessoas em 19 de dezembro. Uma investigação conduzida pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung e as emissoras estatais NDR e WDR concluiu que o Scania R 450 chegou à cessação completa entre 70 e 80 metros. O sistema de frenagem automática teria sido acionado depois de detectar uma colisão. Relatos anteriores especularam que o caminhão foi conduzido erraticamente e parou devido a um ato de heroísmo do motorista polonês, que foi encontrado morto dentro da cabine. Mais de 80 pessoas morreram num ataque similar em Nice, em 14 de julho, quando um caminhão Renault Midlum de 19 toneladas foi guiado deliberadamente contra uma multidão. Em 2012, a União Europeia (UE) adotou regulamentações que exigem que todos os novos caminhões com mais de 3,5 toneladas sejam equipados com sistemas avançados de frenagem de emergência. Os sistemas inicialmente alertam os motoristas e, em seguida, tomam ações evasivas. A medida foi implementada para reduzir o número de colisões traseiras. O tunisiano Anis Amri supostamente jogou o caminhão contra um mercado natalino perto da icônica igreja Gedächtniskirche por volta das 8:30h da noite de 19 de dezembro, enquanto berlinenses e turistas desfrutavam do mercado. O ataque feriu 48 pessoas e matou seis alemães, assim como pessoas da República Tcheca, Itália e Israel. O caminhão tinha placa da Polônia e estava carregado com vigas de aço. Amri fugiu da cena do crime e, dias mais tarde, foi morto a tiros pela polícia italiana em Milão. Também nesta quarta-feira, a polícia alemã prendeu um homem tunisiano de 40 anos, suspeito de ser cúmplice do ataque. A autoria do atentado foi reivindicada pela organização terrorista "Estado Islâmico" (EI). A imprensa alemã relatou também que Amri teria enviado uma selfie e a mensagem "rezem por mim e por meu irmão" do interior do caminhão poucos minutos antes do ataque. PV/afp/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos