Trump apresenta detalhes de reforma tributária

Medidas preveem redução de impostos para empresas e simplificação de categorias de imposto de renda, com corte de taxa máxima. Democratas afirmam que reforma beneficia apenas os mais ricos.O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apresentou nesta quarta-feira (27/09) detalhes da sua proposta de reforma tributária, a maior já planejada no país nas últimas três décadas. As medidas preveem a redução de impostos para empresas e simplificação das categorias de pagamento de imposto de renda. Trump afirmou que a reforma pretende ajudar os trabalhadores e criar empregos. "Vai ser algo especial. O maior corte de impostos da história do nosso país",destacou. O projeto foi divulgado em conjunto pela Casa Branca e pelos republicanos que lideram comitês do Senado e da Câmara dos Representantes. Ele será o documento de trabalho com o qual o presidente espera fazer a maior reforma fiscal do país desde 1980. Entre as medidas, a proposta reduz o imposto sobre as empresas de 35% para 20%, ligeiramente acima dos 15% prometidos inicialmente por Trump, e simplifica as categorias de pagamento de imposto de renda, que diminuem das sete atuais para três, de 12%, 25% e 35%. Os novos índices representam uma queda em relação às taxas máximas que eram anteriormente, de 39%, e elevam a mínima, de 10% para 12%. A medida prevê ainda aumentar as deduções fiscais para as famílias com filhos e criar uma nova para adultos dependentes, como idosos ou pessoas doentes. Na proposta, Trump não detalhou as medidas que pretende aplicar para evitar um rombo nas contas públicas com a redução dos impostos. Ao ser questionado por repórteres, se ele se beneficiaria pessoalmente com a reforma, Trump respondeu apenas que há poucos benefícios para ricos. Democratas rejeitam plano A proposta foi criticada pelos líderes democratas do Congresso. Eles argumentam que, em vez de ser um alívio para a classe média, a reforma beneficia principalmente os mais ricos. "Nós, democratas, temos estado unidos para que nenhum centavo seja destinado para o alívio fiscal dos mais ricos", disse o líder da minoria democrata do Senado, Chuck Schumer. A líder da minoria democrata na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, afirmou que seu partido está disposto a participar de reforma tributária bipartidária, mas disse que a medida apresentada é uma estrutura que ajuda os mais ricos a explorar a classe média. Para ser aprovada, a reforma precisa passar pelo Congresso. Apesar de terem a maioria dos assentos no Senado, os republicanos devem precisar de alguns votos democratas para aprovar a mudança. CN/rtr/afp/efe/lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos