PUBLICIDADE
Topo

Somali que lutou junto com Al Shabab é condenado a 9 anos nos EUA

29/01/2016 20h43

Nova York, 29 jan (EFE).- Um homem de origem somali que deixou sua família no Reino Unido para juntar-se à milícia jihadista Al Shabab foi condenado nesta sexta-feira a nove anos de prisão nos Estados Unidos por apoiar uma organização terrorista.

O condenado, Mahdi Hashi, serviu como membro do grupo entre dezembro de 2009 e agosto de 2012, quando foi capturado na África após deixar a Somália e foi extraditado aos EUA.

Hashi, julgado em um tribunal federal do distrito de Brooklyn, em Nova York, se declarou culpado em maio do ano passado.

Segundo a acusação, durante sua estadia na Somália esteve vinculado ao jihadista americano Omar Hamami, requerido pelas autoridades de seu país e morto em um tiroteio em 2013.

"Este acusado deixou sua família e seu lar de amparada no Reino Unido para oferecer apoio ao Al Shabab, uma violenta organização terrorista que demonstrou sua capacidade e sua inspiração em numeroso ataques terroristas e que ameaçou publicamente atentar contra os EUA", disse no processo o promotor, Robert Capers.

Para a promotoria, a sentença de hoje envia um claro aviso a outras pessoas que oferecem apoio a grupos que ameaçam os EUA ou seus aliados ao redor do mundo.

Al Shabab, uma milícia filiada à Al Qaeda, luta há anos para impor a lei islâmica na Somália e cometeu vários atentados no país e em outras nações vizinhas como o Quênia.