PUBLICIDADE
Topo

Bélgica anuncia envio de caças F-16 para bombardear Estado Islâmico na Síria

25/03/2016 10h31

Bruxelas, 25 mar (EFE).- O primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, anunciou nesta sexta-feira que enviará caças F-16 para bombardear o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na Síria.

Em entrevista concedida após se reunir com o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, o primeiro-ministro indicou que a autorização para o início da missão está sendo discutida com o parlamento.

A medida, porém, não tem relação com os ataques em Bruxelas. Os debates com os parlamentares começaram no último dia 3, segundo o primeiro-ministro, a pedido dos Estados Unidos e com o objetivo de reforçar a luta internacional contra o EI.

As operações belgas estão, por enquanto, limitadas ao Iraque.

"Estamos plenamente convencidos que os desafios que enfrentamos todos juntos, os desafios de segurança, também supõem defender nossos valores comuns que compartilhamos", afirmou Michel.

"Somos grandes democracias. Compartilhamos convicções, a liberdade de expressão, a tolerância, a diversidade e a abertura de nossas sociedades, valores que devemos defender com toda nossa determinação", destacou o primeiro-ministro.

A Bélgica tinha participado da campanha de ataques da coalizão internacional contra o EI na Síria em outubro do ano passado. Por isso, o objetivo é "retomar" a missão, a partir do próximo dia 1º de julho, com o envio de seis caças, informou o ministro de Defesa do país, Steven Vandeput, à emissora local "RTL".

Perguntado se a Bélgica vai bombardear o EI na Síria, Vandeput disse que a discussão está sendo feita dentro do governo, mas que, na sua opinião, é preciso lutar contra os jihadistas onde quer que eles estejam.

Já o primeiro-ministro prometeu que a Bélgica e os demais países afetados pelo terrorismo "restaurarão seus valores" apesar das tentativas dos jihadistas de derrotá-los.