Morre aos 65 anos a arquiteta anglo-iraquiana Zaha Hadid

Londres, 31 mar (EFE).- A arquiteta anglo-iraquiana Zaha Hadid morreu aos 65 anos em Miami, nos Estados Unidos, após sofrer um ataque cardíaco, informou nesta quinta-feira seu estúdio em Londres, Zaha Hadid Architects.

Hadid, que desenhou o pavilhão aquático do parque olímpico de Londres 2012, entre outros edifícios emblemáticos, foi a primeira mulher a receber o prêmio Pritzker, em 2004, considerado o mais prestigiado da arquitetura mundial.

Ela tinha sido internada esta semana em um hospital americano com bronquite, e sofreu complicações na primeira hora desta manhã.

Hadid nasceu em Bagdá em 1950 e se mudou em 1972 ao Reino Unido para estudar arquitetura.

Após se formar, em 1977, abriu seu estúdio e construiu uma reputação internacional com obras como o edifício de escritórios Kurfürstendamm 70, em Berlim, e a Ópera de Cardiff, no País de Gales.

Um de seus primeiros grandes trabalhos foi o quartel de bombeiros de Weil Am Rhein, na Alemanha (1993), e nos anos seguintes assinou projetos como o Museu Nacional das Artes do Século XXI, em Roma, e o centro Heydar Aliyev, em Baku.

Além do Pritzker, Hadid recebeu prêmios como a medalha de ouro do Real Instituto de Arquitetura britânico (RIBA) e foi reconhecida como Comandante da Ordem das Artes e das Letras da França.

Em 2012, a rainha Elizabeth II a condecorou como Dama Comandante do Império britânico por sua contribuição à arquitetura.

Em fevereiro, ao receber o prêmio entregue pelo RIBA, Hadid defendeu o papel da mulher na arquitetura.

"Atualmente podemos ver mulheres que se estabeleceram como arquitetas, mas isso não quer dizer que seja fácil. Em algumas ocasiões é um desafio imenso. Houve uma tremenda mudança nos últimos anos e vamos continuar progredindo", afirmou.

Ao saber da morte de Hadid, o arquiteto britânico Graham Morrison afirmou ao jornal "Guardian" que ela "era especial, não há ninguém como ela".

O também Prêmio Pritzker, o britânico Richard Rogers, afirmou que a morte dela era uma notícia "realmente terrível".

"Era um enorme arquiteta e uma magnífica mulher", apontou.

O prefeito de Londres, Boris Johnson, se mostrou "entristecido" pela morte de Hadid, "uma mulher inspiradora cujo legado vive em seus maravilhosos edifícios" em Londres e no resto do mundo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos