"Peshmergas" se aproximam de Mossul após dois dias de combates

Mossul, 30 mai (EFE).- As forças curdas "peshmergas" anunciaram nesta segunda-feira "o sucesso" da primeira fase da ofensiva que começou no domingo no norte do Iraque e que lhes permitiu se situar a 15 quilômetros da cidade de Mossul, principal reduto do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) no país.

O responsável dos "peshmergas", Aref Taifur, afirmou aos jornalistas em uma zona próxima que as forças curdas "concluíram com sucesso a primeira etapa" da ofensiva, denominada a batalha de "Al Jazer", por ser a zona ao nordeste de Mossul onde se desenvolve a operação.

Segundo Taifur, as tropas fizeram os jihadistas do EI retrocederem 23 quilômetros, dos quais arrebataram nove aldeias.

Taifur explicou que as nove localidades libertadas, todas elas localizadas na região de Al Hamdaniya, estão sendo rastreadas por conta dos explosivos por equipes de artífices.

O responsável informou que, durante a batalha, as tropas "peshmergas" mataram mais de 140 extremistas e que sofreram quatro baixas mortais em suas fileiras e afirmou que pelo menos 34 combatentes curdos ficaram feridos.

O líder acrescentou que os extremistas do Estado Islâmico usaram 15 veículos carregados de explosivos e conduzidos por suicidas para tentar deter o avanço das forças de segurança.

Após dar por finalizada esta primeira fase da ofensiva, os "peshmergas", que entraram em combate com 3 mil homens e contam com o apoio aéreo da coalizão internacional, estão assegurando as posições de defesa em previsão de possíveis contra-ataques.

Atualmente, há em curso várias ofensivas militares das tropas iraquianas e curdas, apoiadas pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, para expulsar o EI da província de Ninawa, cuja capital é Mossul.

O objetivo é recuperar o controle dessa cidade, principal reduto do EI no Iraque desde que em junho de 2014 o grupo invadiu o país e declarou um califado nos territórios iraquianos e sírios que domina.

Hoje uma força integrada por combatentes árabes e yazidis repeliu um ataque do EI ao oeste de Mossul e tropas curdas frearam outro ataque no Curdistão iraquiano.

O deputado Abderahim al Shomari, fundador da milícia dos clãs árabes Shomar na zona de Rabiah, ao oeste da cidade de Mossul, disse à Agência Efe que suas forças e as Unidades de Defesa do Povo Yazidi repeliram o ataque dos jihadistas contra a cidade de Moyama Um Zebian.

Esta população pertence ao distrito de Sinjar, cerca de 120 quilômetros ao oeste de Mossul e próxima à fronteira com a Síria, onde vive a maior parte da minoria yazidi, de etnia curda e cuja religião se baseia no zoroastrismo.

Por outro lado, um comandante das tropas "peshmergas", Rashad Kalali, afirmou à Efe que seus homens repeliram uma agressão armada do EI contra unidades curdas cerca de 25 quilômetros ao sul de Erbil, capital da região autônoma do Curdistão iraquiano.

O ataque lançado por dezenas de jihadistas, entre eles terroristas suicidas, teve como alvo a aldeia de Abu Shita, dependente do distrito de Al Kuir, e nos intensos confrontos morreram ou ficaram feridos 19 membros do EI no total.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos