EI degola 5 homens acusados de colaborar com curdos e de apostasia

Beirute, 6 jul (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) decapitou nas últimas 24 horas cinco homens e jovens acusados de colaborar com os curdos e por "apostasia" na cidade de Al Raqqa, reduto dos radicais na Síria.

O grupo Al Raqqa Está Sendo Massacrada em Silêncio, que documenta os abusos dos jihadistas nessa região, apontou que quatro vítimas eram jogadores de futebol de um time local e que foram assassinadas por suposta espionagem para os curdos. O grupo publicou no Twitter uma imagem dos corpos dos jogadores decapitados, que usavam roupas na cor laranja.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos confirmou a morte de cinco homens, que foram degolados pelo EI. A ONG precisou que quatro deles foram decapitados por "trabalhar para os ateus curdos", enquanto o quinto foi assassinado por "apostasia" (negar a fé).

As milícias curdas são as que apresentam a maior resistência ao EI tanto na Síria quanto no Iraque. O grupo jihadista proclamou em junho de 2014 um califado em ambos os países, onde conquistou áreas do norte e do centro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos