Colégios eleitorais fecham no Gabão após votação sem incidentes

Nairóbi, 27 ago (EFE).- Os colégios eleitorais do Gabão fecharam neste sábado por volta das 18h (horário local, 14h de Brasília) após uma jornada que transcorreu sem incidentes apesar da tensão registrada durante a campanha e das acusações de fraude trocadas entre os principais candidatos à presidência.

Cerca de 630.000 pessoas estavam convocadas às urnas para decidir entre a continuidade de Ali Bongo, que em 2009 venceu as primeiras eleições após a morte de seu pai, Omar Bongo, presidente do Gabão entre 1968 e 2009, e a alternativa de Jean Ping, um veterano político que serviu no governo de Bongo pai.

Embora Bongo seja o grande favorito para sair reeleito, as negociações de Ping para obter apoios entre proeminentes líderes opositores, que finalmente desistiram de concorrer às eleições, deram um respaldo final a sua candidatura, apesar de não ter conseguido unir a toda a oposição.

Segundo as previsões da Comissão Eleitoral Nacional (CENAP), os resultados oficiais devem ser divulgados 72 horas depois da votação.

Tanto a União Africana (UA) como a União Europeia (UE) enviaram missões eleitorais para observar o desenvolvimento dos pleitos e espera-se que publiquem suas conclusões o mais breve possível.

As fronteiras do país voltarão a ser abertas esta noite depois que o Ministério do Interior anunciou um fechamento total de 24 horas para que os gaboneses pudessem "ir às urnas escolher presidente com total tranquilidade".

Segundo o Banco Mundial, o Gabão é o quinto maior produtor de petróleo da África - representa 70% de suas exportações e 20% do PIB -, mas a queda pronunciada dos preços provocou um sério revés nas contas estatais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos