Trump fará campanha em comunidades de maioria hispânica e afro-americana

Washington, 28 ago (EFE).- O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, fará campanha em comunidades de maioria hispânica e afro-americana, uma etapa de sua nova estratégia para atrair esses dois grupos-chave entre os quais é muito impopular já visando as eleições marcadas para o dia 8 de novembro.

"Estamos planejando eventos em comunidades de cor. Estamos tentando ver o melhor nessas comunidades e ouvindo suas preocupações, mas também suas histórias de sucesso", disse neste domingo a chefe de campanha de Trump, Kellyane Conway, no programa de rádio "The Cats Roundtable", do magnata John Catsimatidis.

"Penso que muito frequentemente na política republicana os candidatos não são suficientemente valentes para levar suas mensagens a lugares incômodos", disse Kellyane.

Trump foi criticado nos últimos dias por realizar comícios para requisitar o voto afro-americano e o hispânico diante de audiências majoritariamente brancas. Ontem, por exemplo, o empresário voltou pedir que negros e latinos o escolham como presidente em Des Moines, no estado de Iowa, porque não têm nada a perder.

O republicano acrescentou um pouco mais de confusão em sua mensagem repetindo sua dureza na questão imigratória, mas sem esclarecer a questão-chave de sua nova proposta: o que ele fará com os imigrantes ilegais sem histórico criminal.

Os "imigrantes ilegais criminosos", disse Trump, serão expulsos do país na "primeira hora" de seu mandato. Além disso, o candidato disse que criará um sistema de vigilância que retirará dos EUA "rapidamente" os que tenham superado o tempo de seus vistos.

A mensagem aos afro-americanos não ficou muito mais clara, já que seu discurso de aproximação com a comunidade ficou eclipsado por um tweet que muitos consideraram como "insensível" e como uma "exploração política de uma tragédia".

"A prima de Dwayne Wade (astro da NBA) foi atingida enquanto passeava com seu bebê em Chicago. É o que eu estive falando. Os afro-americanos votarão Trump!", escreveu o empresário, gerando uma avalanche de críticas que depois tentou amenizar com um texto de condolências.

Trump deve realizar na próxima semana um discurso sobre sua política migratória, ato que já adiou em várias ocasiões, e em um momento de confusão pelas mudanças bruscas que têm realizado no tema que mais confusão eleitoral causou até o momento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos