Rajoy abre sessão que decidirá seu futuro como chefe de governo na Espanha

Madri, 30 ago (EFE).- O presidente do governo interino da Espanha, o conservador Mariano Rajoy, abrirá nesta terça-feira no Congresso a sessão de posse para revalidar seu mandato, com um discurso no qual defenderá seu programa e buscará apoio para a votação de amanhã, mas tudo indica que o político fracassará em sua tentativa.

A sessão de posse do líder do Partido Popular começa hoje às 16h locais (11h de Brasília) e se prolongará durante mais de um dia, já que consistirá em um debate parlamentar e pode ter até duas votações.

Rajoy chega ao parlamento após conseguir um acordo com outros dois partidos minoritários que lhe dão um total de 170 votos: os deputados de seu grupo (137), os liberais do Ciudadanos (32) e o voto de uma deputada nacionalista das Ilhas Canárias.

Com os outros grupos contrários (180 deputados) em um Congresso formado por 350 cadeiras, o apoio com o qual conta Rajoy é insuficiente para revalidar seu mandato, pois necessita da maioria absoluta, ou seja, 176 votos.

Se a primeira votação que acontece amanhã fracassar, ocorrerá uma segunda na sexta-feira, na qual Rajoy precisaria da maioria simples para continuar à frente do Executivo.

A jornada inaugural de hoje será protagonizada exclusivamente por Rajoy, com um discurso sem limite de tempo, no qual o líder conservador vai expor os principais pontos de seu programa de governo e pedirá a confiança dos grupos parlamentares.

Amanhã, quarta-feira, será a vez dos outros partidos e a sessão começará às 9h locais (4h de Brasília) com o pronunciamento da principal legenda opositora, o socialista PSOE, liderado por Pedro Sánchez.

Depois discursarão, nesta ordem, os líderes dos partidos de esquerda da coalizão Unidos Podemos (terceira força política); os do Ciudadanos (liberais) e os representantes dos partidos nacionalistas.

Uma vez finalizados todos os discursos, acontecerá a primeira votação. Se Rajoy não obtiver a maioria absoluta (176 votos) nesta, como é previsível, haverá uma segunda 48 horas depois, ou seja, na sexta-feira, na qual bastará a maioria simples para revalidar seu governo.

Se as duas votações fracassarem, como é esperado, será iniciado o mecanismo legislativo para a convocação de novas eleições, pela terceira vez em menos de um ano. No entanto, outros candidatos podem se apresentar, inclusive o próprio Rajoy, durante dois meses.

Se ninguém for eleito após todo esse processo, o parlamento será dissolvido em 31 de outubro e as eleições acontecerão em 25 de dezembro, dia de Natal.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos