Governo da Guatemala decreta estado de calamidade perante riscos por chuvas

Cidade da Guatemala, 22 set (EFE).- O governo da Guatemala decidiu nesta quinta-feira decretar o estado de calamidade pública em vários pontos do país perante o risco iminente de desabamentos e outros desastres provocados pelas últimas chuvas.

O anúncio foi feito pelo presidente interino, Jafeth Cabrera, após uma reunião do governo de várias horas da qual também participou o secretário-executivo da Coordenadoria Nacional para a Redução de Desastres (Conred), Sergio Cabañas.

Esta medida, que deve ser aprovada pelo Congresso, é "reativa" e "não preventiva", ao contrário do que acontecia com o estado de prevenção decretado e revogado nesta mesma semana após as críticas de que era uma decisão contrária à Constituição por proibir, entre outros, o direito à manifestação.

O estado de calamidade pública, ditado pela alta vulnerabilidade do país a fim de preservar a vida das pessoas em locais de risco, afeta vários pontos da capital Cidade da Guatemala, San Marcos, Escuintla, Sacatepéquez e Zacapa, entre outros setores.

Cabañas indicou que nas últimas horas um rio transbordou no departamento de Retalhuleu, no município de San Sebastián, e embora não tenha sido possível quantificar os afetados, há várias famílias atingidas.

A Guatemala é um dos países mais vulneráveis do mundo aos efeitos da mudança climática e às catástrofes naturais, e as autoridades identificaram 8.200 pontos de risco por inundações e deslizamentos, o que afeta cerca de três milhões de pessoas.

As autoridades temem que volte a ocorrer uma catástrofe como a de El Cambray, onde em 1º de outubro do ano passado um deslizamento de terra deixou 280 mortos e 70 desaparecidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos