Filipino faz comparação com Hitler e diz querer matar 3 milhões de drogados

Em Manila

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, se comparou nesta sexta-feira (30) a Adolf Hitler e afirmou que quer matar três milhões de drogados que diz que há no país, aonde retornou esta madrugada após uma viagem oficial de dois dias ao Vietnã.

"Hitler massacrou três milhões de judeus. Agora há aqui três milhões de viciados. Eu gostaria de massacrá-los todos", disse Duterte para a imprensa, segundo uma transcrição divulgada pela presidência.

"Se a Alemanha tinha Hitler, as Filipinas terão minhas vítimas, que gostaria de que fossem todos os criminosos para acabar com o problema deste país e salvar a próxima geração da perdição", afirmou o líder.

Duterte voltou a atacar os Estados Unidos e a União Europeia por suas críticas a sua violenta campanha contra as drogas, que segundo números oficiais deixou mais de 3.500 mortos desde o dia 30 de junho, quando o presidente tomou posse do cargo.

"EUA e UE, podem me chamar do que quiserem, mas nunca gostei da hipocrisia como vocês", disse o presidente filipino, criticando sua resposta à crise dos refugiados sírios.

"Vocês fecham suas portas, é inverno e eles são imigrantes escapando do Oriente Médio. Permitem que apodreçam, mas estão preocupados com a morte de 1.000, 2.000 ou 3.000 pessoas?", se perguntou.

Duterte ganhou com folga as eleições presidenciais com a promessa de acabar com a droga e a criminalidade nos primeiros seis meses de mandato, e desde então pediu à Polícia e aos cidadãos para matar traficantes e consumidores de drogas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos