Promotoria acusa de suborno herdeiro de Samsung pelo caso "Rasputina"

Seul, 28 fev (EFE).- O herdeiro do grupo Samsung, Lee Jae-yong, será formalmente acusado de suborno, ao lado de outros quatro executivos da empresa no processo judicial da "Rasputina", disse, nesta terça-feira, a equipe de promotores que investigam o caso de corrupção.

O executivo, de 48 anos, permanece preso desde o último dia 17, acusado de ter autorizado o apoio financeiro da Samsung para Choi Soon-sil - amiga íntima da presidente afastada Park Geun-hye e apelidada de "Rasputina", por sua proximidade a governante -, em troca do sinal verde do governo em um acordo da fusão de duas das suas filiais.

Além de suborno, a promotoria acusará a Lee de crimes de peculato e ocultação de dinheiro no exterior, disse a agência local "Yonhap".

Lee e outros membros da diretoria da Samsung admitiram que pagaram cerca de 43 bilhões de wons (US$ 37 milhões) para entidades supostamente controladas por Choi, mas negam qualquer irregularidade e tratamento diferenciado por isso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos