Mulher morre após ser baleada na cabeça em protesto no oeste da Venezuela

Caracas, 12 jul (EFE).- Uma mulher de 56 anos morreu após ser baleada na cabeça durante uma manifestação da oposição na cidade de Tocuyo, no oeste da Venezuela, o que eleva para 94 o número de mortos na onda de protestos que abala o país há mais de cem dias.

Identificada como Janeth Angulo, a mulher, uma professora aposentada morreu na noite de terça-feira no bairro de Villa Colonial, em Tocuyo, informou o Ministério Público em comunicado.

"Ocorria uma manifestação quando surgiu uma situação irregular e foram efetuados disparos contra as pessoas que estavam no local", disseram os investigadores do caso em um relatório preliminar.

Depoimentos solicitados pelo promotor responsável pelo caso dizem que a "docente aposentada estava na rua e, ao ouvir explosões, correu para o interior de sua casa, onde foi baleada na cabeça".

O deputado Daniel Antequera, da oposição ao presidente do país, Nicolás Maduro, culpou o governo pela morte. "Uma bala da ditadura que tira vidas", escreveu no Twitter.

Com a morte de Janeth Angulo sobre para 94 o total de pessoas que perderam a vida desde o último dia 1º de abril, quando teve início uma onda de protestos a favor e contra o governo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos