PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Rachadura se torna 1º incidente grave em trem-bala no Japão em 50 anos

Imagem de arquivo mostra um trem-bala na estação Shin-Osaka, em Osaka, no Japão - Getty Images
Imagem de arquivo mostra um trem-bala na estação Shin-Osaka, em Osaka, no Japão Imagem: Getty Images

Em Tóquio

20/12/2017 09h14

A descoberta de uma rachadura de 16 centímetros em trem-bala japonês em movimento, que poderia ter causado um acidente, se transformou no primeiro incidente grave desde que este transporte começou a operar há mais de 50 anos.

A rachadura foi encontrada no chassi de um trem em movimento no dia 11 de dezembro, disse nesta quarta-feria (20) um porta-voz da companhia ferroviária que opera o serviço, a West Japan Railway (JR West), que afirmou que 80 vagões já foram revisados e que apenas um apresentou problemas.

Segundo o Ministério de Transporte japonês, este é o primeiro "incidente grave" que afeta o sistema de trem de alta velocidade japonês e poderia ter ocasionado um descarrilamento.

A rachadura encontrava-se no marco de aço que sustentava o conjunto de rodas do modelo Noizomi 34 que fazia a rota entre Hakata (sul) e Tóquio, e estava a ponto de romper-se, razão pela qual, se tivesse continuado em movimento, teria ocasionado um acidente sério.

O modelo Noizomi tem capacidade para mais de 1.300 passageiros.

O trem-bala teve que ser parado na estação de Nagoya, a 350 quilômetros do seu destino final, após circular durante mais de três horas com um cheiro e barulho anormais.

"O incidente é inaceitável e estamos conscientes de que se trata de um caso grave", disse hoje o presidente da JR West, Tatsuo Kijima, em entrevista coletiva à imprensa.

Kijima lamentou que o trem não tenha sido parado "imediatamente depois de notar as irregularidades" e garantiu que os detalhes do incidente estão sendo investigados para evitar que se repita.

A segurança se transformou em uma prioridade para a companhia ferroviária depois que o descarrilamento de um trem em 2005 causou a morte de 106 passageiros e do condutor na província de Hyogo.

Internacional