Carta enviada a Harry e Megan pode ter motivação racista, diz Polícia

(Atualiza com detalhes da investigação).

Londres, 22 fev (EFE).- O envio de uma carta que com um pó branco suspeito e que estava dirigida ao príncipe Harry e a sua noiva, Meghan Markle, está sendo investigada como um "crime de ódio racista", informou a Polícia britânica nesta quinta-feira.

As análises revelaram que a substância, recebida no último dia 12 no Palácio de St. James, no centro de Londres, não era perigosa. A unidade antiterrorista da Polícia metropolitana de Londres investiga agora uma mensagem "maliciosa" relacionada à carta que está sendo tratada como possível crime de ódio.

Um dia depois de a correspondência ser recebida, a Polícia informou que uma carta com um pó branco parecido foi enviada ao Parlamento britânico, dirigida à ministra de Interior, Amber Rudd. Ainda não se sabe, por enquanto, se os dois fatos estão relacionados e ninguém foi preso até o momento.

Um porta-voz do Palácio de Kensington não quis comentar o caso e disse que o assunto que está nas mãos da Polícia.

O filho mais novo da princesa Diana e sua noiva foram informados sobre a carta, que chegou um dia antes de o casal realizar uma visita a Edimburgo (Escócia).

O fato é o primeiro alerta de segurança em torno da noiva de Harry. Segundo a imprensa britânica, a moça - nascida em Los Angeles, nos Estados Unidos - já tem escolta 24 horas por dia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos