PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Começa reunião entre chefes de Estado de Aliança do Pacífico e Mercosul

24/07/2018 14h47

Puerto Vallarta (México), 24 jul (EFE).- O encontro entre os chefes de Estado da Aliança do Pacífico e do Mercosul, os dois blocos mais importantes da América Latina, começou nesta terça-feira na 13ª Cúpula da Aliança do Pacífico, que acontece no balneário de Puerto Vallarta, no litoral oeste do México.

Às 11h30 locais (13h30 em Brasília), como estava programado, começou a reunião na qual participam os quatro presidentes dos países da Aliança do Pacífico; Enrique Peña Nieto (México), Juan Manuel Santos (Colômbia), Sebastián Piñera (Chile) e Martín Vizcarra (Peru).

Pela parte do Mercosul, que é formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, participam o presidente brasileiro Michel Temer, e o uruguaio, Tabaré Vázquez.

O chefe de Estado da Argentina, Mauricio Macri, por sua vez, não compareceu à cúpula alegando problemas de agenda.

Segundo informaram à Agência Efe fontes oficiais, a Argentina será representada pelo secretário de Relações Exteriores, Daniel Raimondi, e pelo subsecretário de Relações Econômicas Internacionais, Pablo Quirno.

Há grandes expectativas nesta reunião entre a Aliança do Pacífico e o Mercosul, que representa a primeira cúpula presidencial entre países de ambos os blocos, que juntos reúnem cerca de 90% do Produto Interno Bruto (PIB) da América Latina.

Após o encontro, é esperada uma mensagem conjunta aos veículos de imprensa do presidente temporário da Aliança do Pacífico, Enrique Peña Nieto, e do presidente temporário do Mercosul, Tabaré Vázquez.

O México assumiu nesta cúpula a presidência da Aliança, que estava com a Colômbia, mas a exercerá por apenas dois dias, e cederá a vez ao Peru para que a cúpula coincida com o fechamento do período de um ano de presidência.

Atualmente, a Aliança do Pacifico, que foi criada em 2011, representa a oitava economia do mundo, com uma população de 223 milhões. O bloco constitui 38% do PIB e 50% do comércio total da América Latina.

O Mercado Comum do Sul (Mercosul), por sua vez, nasceu em 1991 entre o Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai e hoje reúne mais de 250 milhões de pessoas. Em 2012, a Venezuela foi integrada ao bloco, o que transformou o Mercosul na quinta maior econômica mundial.

Em 2017, no entanto, a Venezuela foi suspensa de maneira indefinida devido à situação política no país, enquanto a Bolívia, por sua vez, está em pleno processo de adesão ao bloco.

A aproximação entre a Aliança do Pacífico e o Mercosul vem acontecendo há meses. Em abril de 2017, por exemplo, houve uma reunião de ministros dos países de ambos os blocos, na qual coincidiram em intensificar "esforços em favor do livre-comércio e da integração regional".

"Estamos finalizando as conversas com a Aliança do Pacífico para que haja uma declaração dos presidentes (de ambos os blocos) que seja acompanhada de um plano de ação" em áreas relacionadas com o comércio e a agenda digital, disse recentemente o subsecretário para a América Latina e o Caribe do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, Paulo Estivallet.

A 13ª Cúpula Presidencial da Aliança do Pacífico acontece entre os dias 21 e 24 de julho em Puerto Vallarta, e busca aprovar uma visão a longo prazo com o Mercosul e uma agenda para 2030 em sintonia com os objetivos da ONU.

Internacional