Topo

Assassino em série de coelhos aterroriza cidades do noroeste da França

Getty Images/iStockphoto
Aproximadamente cem coelhos foram mortos a pauladas nos últimos seis meses na pequena Minihy-Tréguier Imagem: Getty Images/iStockphoto

Marco Sanz

2018-10-27T06:02:00

27/10/2018 06h02

Paris, 27 out (EFE).- Um assassino em série de coelhos domésticos, que segue um padrão na hora de cometer os crimes, semeou o pânico na Bretanha, no noroeste da França, especialmente entre os aposentados.

Na tranquila Minihy-Tréguier, de 1.320 habitantes, a Gendarmaria começou uma investigação para localizar o indivíduo causador de "uma série de atos cruéis contra coelhos domésticos". Aproximadamente, cem coelhos que pertenciam a cerca de 12 pessoas foram assassinados a pauladas nos últimos seis meses nesse povoado e nos arredores.

"É um ato odioso e lamentável que está criando uma verdadeira psicose. As pessoas estão com medo de encontrar o assassino em casa. Não sabemos se ele anda armado. Eu também estou preocupado", reconheceu o prefeito de Minihy-Tréguier, Jean-Yves Fenvarc'h, em declarações à agência Efe.

De acordo com ele, o criminoso espanca os animais dentro das residências e depois deixa os corpos na porta dos donos. Segundo o prefeito, o misterioso assassino se aproveita do fato de grande parte dos moradores terem uma idade avançada, a maioria aposentado.

Para Fenvarc'h, o autor das ações conhece bem a região, já que de vez em quando age durante o dia. "Ele espera escondido os proprietários saírem de casa para agir", contou.

Uma das vítimas foi o casal L'Hévéder. Marie-Françoise e Eugène, de 77 e 80 anos, tiveram vários coelhos mortos. "Já é a quarta vez. Isso é uma catástrofe. Outro dia saímos de casa às 9h. Antes demos comida aos coelhos. Voltamos às 11h e encontramos todos mortos. São vários. Eu não acho que uma pessoa só consiga fazer isso", afirmou Eugène à agência Efe, que suspeita que o autor dos crimes tenha cúmplices.

O idoso, está abatido. Ele cria coelhos há 55 anos e afirmou nunca ter visto por nada parecido. "Nos perguntamos quem pode fazer algo assim", lamentou.

O criminoso usa métodos particularmente brutais. Conforme análises, os animais são pisoteados e sacolejados antes de serem colocados na porta dos donos. As autoridades acreditam que o agressor já tenha "atuado em 15 ocasiões", sendo a mais recente na terça-feira passada.

A Gendarmaria, que enviou um dispositivo especial para a cidadezinha, ainda está na fase inicial das investigações. Uma das poucas pistas é o relato de que ele foi visto rapidamente no jardim de uma casa, com um casaco impermeável e um chapéu, antes de fugir, segundo o prefeito.

Sylvie Corlouer é a pessoa que viu o suspeito e se tornou a heroína regional. Ela cria coelhos em Langoat e esteve a ponto de desmascarar o indivíduo na última quinta-feira (25). "Fiz o flagrante por volta das 9h30, mas ele conseguiu escapar", explicou ao jornal "Ouest-France".

Ela também está na longa lista de vítimas. Sylvie percebeu que algo errado estava acontecendo quando seis coelhos sumiram entre junho e setembro, incluindo duas fêmeas cujos filhotes também morreram sem qualquer ação da mãe.

O campo de atuação do criminoso parece estar em expansão. Além de Minihy-Tréguier e Langoat, recentemente foram detectados crimes semelhantes em La Roche-Derrien e Coatréven e todos a uma distância máxima de 10 km um do outro.

O prefeito da La Roche-Derrien, Jean-Louis Even, recebeu o alerta da Gendarmaria na terça-feira passada. No início, custou a acreditar, mas logo constatou a gravidade e alertou os moradores. "Registramos um caso até o momento. Não consigo entender como alguém pode fazer uma crueldade assim", declarou o governante ao "Ouest-France.

Mais Notícias