PUBLICIDADE
Topo

Guatemala pede investigação de morte de criança sob custódia dos EUA

25/12/2018 20h10

Cidade da Guatemala, 25 dez (EFE).- O Ministério das Relações Exteriores da Guatemala pediu nesta terça-feira uma investigação sobre a morte da segunda criança imigrante do país sob custódia da Patrulha de Fronteira dos Estados Unidos.

Em comunicado, o órgão informou que recebeu a notícia da morte da segunda criança guatemalteca presa após cruzar a fronteira. Desta vez, um menino, de 8 anos, que faleceu em um hospital da cidade de Alamogordo, no estado americano do Novo México.

O governo da Guatemala já havia pedido uma investigação sobre a morte de Jakelin Caal Maquín no dia 8 de dezembro. Depois de ser presa com seu pai após cruzar ilegalmente a fronteira dos EUA, a menina guatemalteca, de 7 anos, morreu em condições similares.

A diretora de Comunicação Social do Ministério das Relações Exteriores da Guatemala, Marta Larra, afirmou que ainda não tem mais informações sobre a criança que morreu hoje e nem do seu pai.

Segundo ela, o menino entrou nos EUA na última terça-feira e, junto com o pai, os dois foram transferidos para o centro de detenção da Patrulha de Fronteira em Alamogordo cinco dias depois.

O cônsul da Guatemala na cidade de Phoenix, Óscar Padilla Lam, foi para a cidade e espera poder falar com o pai da criança em breve, segundo o Ministério das Relações Exteriores.

A criança começou a mostrar sintomas de uma "possível doença", de acordo com o CBP, na noite de ontem. Um dos agentes percebeu que ela não estava bem e decidiu levá-lo com o pai ao Hospital Gerald Champion Regional, na cidade de Alamogordo, no Novo México.

No hospital, os médicos afirmaram que a criança tinha um resfriado comum e, quando iam dar alta, perceberam que ela apresentava um quadro de febre. O jovem guatemalteco ficou mais 90 minutos em observação e deixou o local na tarde de segunda-feira, com uma receita para tomar ibuprofeno e amoxicilina.

Na noite de ontem, o menino começou a vomitar e a sentir náuseas, voltando ao hospital. No entanto, apesar do atendimento médico, o pequeno imigrante acabou morrendo durante a madrugada de hoje. EFE