PUBLICIDADE
Topo

Polícia considera explosões no nordeste da China como crime

25/01/2019 10h48

Pequim, 25 jan (EFE).- A Polícia de Changchun, na China, considerou a série de explosões registradas nesta sexta-feira em um shopping da cidade da região nordeste do país como um "caso criminoso".

Na sua conta no Weibo - o Twitter chinês -, as autoridades informaram que as explosões começaram com a detonação de um carro no estacionamento do Shopping Wanda Plaza às 15h13 (horário local, 5h13, em Brasília). De acordo com a Polícia, três minutos depois outra explosão foi realizada em um escritório do 30º andar do edifício que abriga o shopping.

As duas foram seguidas de várias outras explosões, segundo uma testemunha citada pelo "Jornal da Juventude de Pequim". Pelo menos uma pessoa morreu e outra ficou ferida.

"Foram mais de 20 explosões. Através do alto-falante, o shopping pediu para as pessoas se retirassem imediatamente e então corremos para salvar as nossas vidas", afirmou uma mulher identificada apenas como Zhang.

Vídeos de testemunhas divulgados pelo jornal de "Hong Kong South China Morning Post" mostram fortes detonações seguidas de colunas de fumaça na parte externa do edifício, além da explosão em um dos andares superiores do arranha-céu, também com bastante fumaça. Nas imagens é possível ver dezenas de pessoas fugindo do local.

Os bombeiros pediram para que as pessoas não se aproximem da região e informaram que todos os prédios em volta foram esvaziados para a investigação do caso. EFE