PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Trump atribui disposição de Maduro a "negociar" às sanções dos EUA

30/01/2019 12h42

Washington, 30 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, destacou nesta quarta-feira que o líder venezuelano, Nicolás Maduro, está "disposto a negociar" com a oposição graças às "sanções americanas" sobre as receitas do petróleo, e recomendou aos cidadãos de seu país que não viagem à Venezuela "até novo aviso".

"Maduro está disposto a negociar com a oposição na Venezuela após as sanções dos EUA e o corte das receitas do petróleo", disse Trump em sua conta no Twitter, sobre as medidas adotadas na segunda-feira por Washington contra a companhia petrolífera estatal venezuelana PDVSA.

Além disso, indicou que o autoproclamado presidente interino, Juan Guaidó, está sendo "atacado" pelo Tribunal Supremo da Venezuela e que um "protesto em massa é esperado hoje".

"Os americanos não devem viajar à Venezuela até novo aviso", acrescentou o presidente dos EUA.

Trump comentou assim as declarações que Maduro deu hoje em entrevista com a agência de notícias russa "RIA Novosti", nas quais afirmou estar disposto a sentar com a oposição para dialogar sobre "a paz e o futuro" do país.

"Estou pronto, com uma agenda aberta, para sentar com setores da oposição para falar do bem da Venezuela, da paz e do futuro", disse o líder venezuelano, depois que o chefe do Parlamento, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino da Venezuela, com o apoio dos EUA e de vários países, entre eles o Brasil.

Ontem, o vice-presidente americano, Mike Pence, se reuniu em Washington com Carlos Vecchio, representante nos EUA de Guaidó.

A confirmação de Vecchio como chefe da missão diplomática de Guaidó, a quem a Casa Branca reconhece como o presidente legítimo da Venezuela, indica a formação uma embaixada paralela nos EUA, depois que o presidente Maduro anunciou a ruptura de relações. EFE

Internacional