PUBLICIDADE
Topo

Governo chileno condena ataques a mesquitas na Nova Zelândia

15/03/2019 12h03

Santiago, 15 mar (EFE).- O governo do Chile condenou nesta sexta-feira os ataques contra duas mesquitas em Christchurch, na Nova Zelândia, nos quais morreram pelo menos 49 pessoas, e expressou suas condolências ao governo e ao povo neozelandês.

"Nos solidarizamos com as vítimas e seus familiares, e fazemos votos para a pronta recuperação dos feridos. Esperamos que os responsáveis por esses atos horríveis sejam levados à Justiça", afirmou o Ministério de Relações Exteriores chileno em comunicado.

Pelo menos 49 pessoas morreram nos ataques contra duas mesquitas em Christchurch, que fica no sul da Nova Zelândia, quando centenas de pessoas participavam das orações de sexta-feira.

Os ataques ocorreram em plena luz do dia. Na mesquita de Al Noor, muito perto do Jardim Botânico, morreram 41 pessoas, enquanto outras sete foram assassinadas na mesquita de Linwood, a cerca de 6,5 quilômetros de distância da primeira.

Outra pessoa morreu depois em um hospital da cidade, no qual 48 pessoas feridas estão recebendo atendimento, entre elas crianças.

O suposto cérebro dos ataques é um supremacista branco que foi identificado como Brenton Tarrant, um australiano de 28 anos de idade, segundo as autoridades neozelandesas, que permanece detido junto de outros dois supostos cúmplices. EFE