Topo

ONG francesa resgata 215 migrantes nos últimos três dias na costa da Líbia

O barco humanitário Ocean Viking, das ONG SOS Méditerranée e Médicos Sem Fronteiras - Svein Ove EKORNESVAAG/NTB scanpix/AFP
O barco humanitário Ocean Viking, das ONG SOS Méditerranée e Médicos Sem Fronteiras Imagem: Svein Ove EKORNESVAAG/NTB scanpix/AFP

Da EFE, em Paris

22/11/2019 11h27

O navio humanitário Ocean Viking, operado pelos Médicos Sem Fronteiras e pela SOS Méditerranée, resgatou 215 migrantes em três dias na costa da Líbia e está navegando para o norte com a intenção de desembarcá-los em um porto italiano ou maltês.

Em um comunicado publicado nesta sexta-feira, a SOS Méditerranée explicou que pediu aos centros de resgate desses dois países que atribuíssem um porto, depois de ter rejeitado a proposta das autoridades líbias, que haviam atribuído o de Trípoli.

"Tivemos que responder que não podíamos ir, já que nenhum porto na Líbia é considerado um 'lugar seguro' sob o direito internacional", justificou a ONG francesa.

O último dos resgates, de 90 pessoas, ocorreu ontem em águas internacionais a 152 quilômetros da costa líbia.

O Ocean Viking procurou por quase 24 horas um barco inflável que havia deixado a cidade de Khoms, na Líbia, na última terça-feira e para o qual um alerta havia sido emitido.

Já 366 migrantes esperam desembarcar em um porto seguro depois de terem sido resgatado nos últimos dias por três navios humanitários de ONGs no Mediterrâneo central.

O último resgate ocorreu ontem à tarde, quando a antiga embarcação pesqueira basca Aita Mari, autorizado como navio de resgate pela ONG Maritime Humanitarian Rescue (SMH), salvou 78 pessoas que estavam em um barco, informou a organização em comunicado.

A embarcação estava localizada em águas internacionais e agora aguarda a atribuição de um porto seguro, disse a ONG, que também indicou que "os únicos portos seguros e próximos são os italianos e malteses".

Também ontem, a ONG espanhola Open Arms resgatou 73 migrantes nas águas do Mediterrâneo central que estavam viajando em uma barcaça à deriva que corria o risco de naufragar e foram encontradas a cerca de 80 km da costa da Líbia.

Os 73 resgatados são 69 homens e quatro mulheres, incluindo duas crianças de 3 e 4 anos e 24 menores não acompanhados. EFE

Notícias