PUBLICIDADE
Topo

Após piora, Dom Pedro Casaldáliga é transferido para hospital em SP

Dom Pedro Casaldáliga, nascido Pere Casaldàliga i Pla é um bispo católico radicado no Brasil desde 1968. Atualmente, é bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia -  Jorge araujo/Folhapress
Dom Pedro Casaldáliga, nascido Pere Casaldàliga i Pla é um bispo católico radicado no Brasil desde 1968. Atualmente, é bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia Imagem: Jorge araujo/Folhapress

05/08/2020 02h49

O bispo emérito da Prelazia de São Félix, dom Pedro Casaldáliga, de 92 anos, foi transferido nesta terça-feira para o município de Batatais, em São Paulo, após apresentar piora em seu quadro de saúde, considerado grave.

Um dos mais expressivos representantes da Teologia da Libertação, dom Pedro havia sido internado no domingo em São Félix do Araguaia (MT), com problemas pulmonares.

O padre Antonio Canuto, que trabalhou com Casaldáliga durante 26 anos, afirmou à Agência Efe que o bispo embarcou em uma pequena aeronave por volta das 18h de Brasília em uma pequena aeronave rumo a Ribeirão Preto. De lá, seria levado de ambulância para Batatais, a 45 quilômetros de distância.

"A situação é muito delicada. O desenlace pode acontecer a qualquer momento", disse Canuto sobre a saúde do religioso, que também sofre da doença de Parkinson há anos e cujas habilidades de comunicação já foram severamente afetadas.

"Estamos orando para que ele suporte a viagem", afirmou à Efe o missionário Ronaldo Mazula, que aguarda a chegada do bispo em Batatais.

Espera-se que dom Pedro seja submetido a uma cirurgia pulmonar na Santa Casa de Batatais.

Se a operação correr bem, ele será acolhido na mesma cidade por uma unidade de atendimento a idosos e enfermos da congregação claretiana, à qual o bispo pertence.

Reconhecido no Brasil pelo intenso trabalho social, dom Pedro Casaldáliga, cujo nome de batismo é Pere Casaldàliga i Pla, nasceu no município de Balsareny, na província de Barcelona, na Espanha, em 16 de fevereiro de 1928.

Conhecido como "bispo do povo" pela defesa dos povos indígenas e pela luta contra a violência no campo, dom Pedro vive no Brasil desde o final dos anos 60, quando deixou o país natal durante a época do regime franquista.

Ele participou da fundação da influente Pastoral da Terra e do Conselho Indigenista Missionário, organização ligada à Igreja Católica brasileira,

O bispo chegou a sofrer ameaças de morte em várias ocasiões, entre elas por defender os índios Xavante de Marãiwatsédé na retomada de suas terras, que foram ocupadas por invasores.

Além do trabalho pastoral, dom Pedro Casaldáliga foi reconhecido por sua produção literária, tanto em poesia quanto em artigos e obras políticas.