Avião militar russo cai com 92 a bordo a caminho da Síria

MOSCOU (Reuters) - Um avião militar russo com 92 pessoas a bordo, inclusive vários cantores, bailarinos e músicos do coral do Exército Vermelho, caiu neste domingo no mar Negro a caminho da Síria, informaram as autoridades russas.

De acordo com o Ministério da Defesa russo, o Tupolev TU-154 desapareceu dos radares às 5h25 horário local, dois minutos depois de decolar de Sochi, no sudeste russo, onde havia parado para reabastecer. Igor Konashenkov, porta-voz do ministério, informou a repórteres que não há sobreviventes.

"A área do acidente já foi determinada. Não foram avistados sobreviventes", disse o porta-voz. Uma fonte militar disse à agência Interfax que o avião não enviou nenhum sinal de SOS.

O jato, um Tupolev da era soviética, foi construído em 1983 e carregava 84 passageiros e oito tripulantes. Pelo menos 60 eram membros da Alexandrov Ensemble, mais conhecida como o Coral do Exército Vermelho e estavam sendo levados para a base área de Hmeymim na Síria para entreter as tropas russas baseadas no local na preparação para o Ano Novo. Também estavam no voo nove repórteres russos e outros militares.

De acordo com o porta-voz do ministério, fragmentos do avião foram encontrados a uma profundidade de 70 metros no mar Negro, a cerca de 1,5 quilômetros da costa próxima a cidade de Sochi.

"A operação de busca continua", disse Konashenkov. "Quatro navios, quatro helicópteros, um avião e um drone estão trabalhando na área", afirmou, acrescentando que uma missão militar também voou para Sochi para investigar o que aconteceu.

Até agora, segundo o porta-voz, quatro corpos teriam sido encontrados. Agências russas de notícias dão números maiores.

A agência russa RIA, citando fontes de segurança não identificadas, diz que informações preliminares apontam como causa problemas técnicos ou erro do piloto. Outra fonte informou às agências russas que um ataque ao avião foi descartado.

Konashenkov afirmou que o avião passou por revisões em setembro e por uma reforma completa em dezembro de 2014 e teria 7 mil horas de voo. Disse ainda que o piloto era experiente.

O presidente russo, Vladimir Putin, declarou luto nacional e determinou a abertura de uma investigação criminal sobre o caso.

(Por Polina Devitt e Andrew Osborn)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos