Bovespa fecha em queda de 1,18% em movimento de ajuste, mas sobe 3% no mês

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em baixa nesta sexta-feira, com o movimento de ajuste apoiado na queda dos preços das commodities e na cautela com a cena política, na última sessão antes do feriado de Carnaval.

O Ibovespa caiu 1,18 por cento, a 66.662 pontos. Na semana, o índice caiu 1,6 por cento, mas acumulou ganho de 3 por cento em fevereiro. O giro financeiro na sessão somou 8,35 bilhões de reais.

"O mercado está bastante esticado, então os grandes players acabam realizando um pouco... É um movimento normal e precisa dar essa correção para que outros investidores, receosos com o alto patamar, voltem ao mercado", disse o gerente de renda variável da H.Commcor, Ari Santos.

O ruído político ajudou a amparar o ajuste, após notícias envolvendo o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, José Yunes, ex-assessor e amigo do presidente Michel Temer, disse ter recebido um pacote em seu escritório a pedido de Padilha e teria sido entregue ao doleiro Lúcio Funaro, preso no âmbito da Lava Jato.

As preocupações envolvendo o núcleo do governo ganharam força um dia após notícias de ruptura dentro do PMDB. Na quinta-feira, o vice-presidente da Câmara, o deputado Fábio Ramalho (MG) declarou que iria "romper" com o governo após a informação de que o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) seria anunciado como novo ministro da Justiça.

A Bovespa permancerá fechada na segunda e terça-feira, reabrindo na quarta-feira, às 13h.

DESTAQUES

- VALE PNA caiu 0,44 por cento e VALE ON recuou 1,36 por cento, em sessão volátil após a anúncio de que o diretor-presidente da mineradora, Murilo Ferreira, deixará o comando da empresa em maio. As ações preferenciais caíram 3,6 por cento na mínima da sessão, e subiram 2,8 por cento, na máxima. A sessão também foi marcada por queda nos preços de minério de ferro na China.

- PETROBRAS PN caiu 2,44 por cento e PETROBRAS ON recuou 3,16 por cento, acompanhando o movimento negativo do petróleo no mercado internacional, em meio a preocupações sobre a crescente oferta nos Estados Unidos pesando mais do que as promessas da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de impulsionar a adesão aos cortes de produção.

- BRF ON fechou com variação positiva de 0,05 por cento, anulando as perdas vistas mais cedo, na esteira do anúncio de um prejuízo líquido de 460 milhões de reais no quatro trimestre. O movimento de recuperação dos papéis veio na sequência de declarações de executivos da empresa, com promessas de melhorar o modelo de gestão para corrigir as dificuldades que pressionaram os resultados.

- GRUPO PÃO DE AÇÚCAR PN caiu 1,12 por cento após reportar prejuízo líquido consolidado de 29 milhões de reais no quarto trimestre de 2016, marcando o sétimo resultado trimestral seguido negativo. Segundo analistas da corretora Brasil Plural, os dados confirmaram a expectativa por maior pressão sobre as margens "devido à estratégia de promoção mais agressiva nos formatos de super e hipermercado da bandeira Extra".

- MARFRIG ON subiu 2,29 por cento, após cair quase 17 por cento nos seis pregões anteriores, à espera do balanço trimestral. Os dados dos três últimos meses de 2016 mostraram prejuízo líquido de 270,7 milhões de reais.

- ELETROPAULO PN, que não faz parte do Ibovespa, subiu 3,04 por cento. A distribuidora de energia anunciou na véspera que o seu conselho de administração decidiu submeter aos acionistas proposta de migração para o Novo Mercado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos