Esperanças de sobreviventes de terremoto no México diminuem em sexto dia de buscas

Noeleen Walder e Alexandra Alper

  • Henry Romero/Reuters

Os trabalhadores de emergência procuram por sobreviventes com holofotes em edifícios esmagados pelo terremoto mais mortal do México em 32 anos, em meio a perspectivas esmorecidas de resgate, cinco noites após o desastre, enquanto o presidente Enrique Pena Nieto instou os mexicanos a voltarem sua atenção para a reconstrução do país.

A procura continuava em um prédio de escritórios arruinado no bairro Roma da Cidade do México e num prédio de cinco andares em TIalpan depois do terremoto de magnitude 7,1 ter derrubado dezenas de edifícios e matado mais de 300 pessoas.

O tremor, o pior no México desde o terremoto de 1985 que matou milhares, pode ter deixado pelo menos 30 mil casas muito danificadas nos estados adjacentes de Morels e Puebla e gerou perdas de US$ 4 bilhões a US$ 8 bilhões.

Mas as autoridades cancelaram os esforços na zona de classe média alta Linda Vista, depois de tirar dez corpos dos escombros, enquanto o trabalho no prédio de apartamentos em Tlalpan foi interrompido brevemente no sábado devido a um terremoto de magnitude 6,2 que sacudiu o sul do México e espalhou medo na capital.

"Em Tlalpan, ainda existe a possibilidade de encontrar pessoas vivas. É URGENTE", se lê em um meme transmitido no sábado nas redes sociais.

A resposta do governo ao desastre está sob minucioso escrutínio antes de uma eleição presidencial no próximo ano.

A frustração cresceu entre os milhares de pessoas desabrigadas pelo terremoto de terça-feira, com críticas dizendo que a reação do governo foi pálida em comparação com o apoio voluntário, do trabalho de resgate às doações de alimentos.

Quando o terremoto ocorreu na terça-feira, o México já tinha sofrido um terremoto em 7 de setembro que matou pelo menos 98 pessoas e foi o mais forte do país em 85 anos.

O novo tremor no sábado espalhou medo entre a população traumatizada do México, e uma nuvem de cinzas foi expelida do vulcão Popocatepetl em outro lembrete da geologia volátil do país.

O presidente Enrique Pena Nieto procurou devolver as críticas, destacando a ajuda do governo para os sobreviventes em uma turnê sábado em Jiquipilas, no pobre estado do sul de Chiapas, que foi atingido pelo terremoto de 7 de setembro.

"Tenha certeza que o governo federal está aqui, o estado e o governo local, dando suporte a você, mão a mão, para reconstruir", disse.

Mas muitos mexicanos desconfiam dos políticos que usam o terremoto para marcar pontos políticos, antes das eleições de 2018 que são vistas como um referendo sobre o recorde parcial do Partido Revolucionário Institucional desde o retorno ao poder em 2012.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos