Comandante nuclear dos EUA afirma que resistiria a ordem "ilegal" de ataque de Trump

  • Nati Harnik/AP

    O general da Força Aérea John Hyten, comandante do Comando Estratégico dos EUA

    O general da Força Aérea John Hyten, comandante do Comando Estratégico dos EUA

O principal comandante nuclear dos Estados Unidos disse neste sábado (19) que resistiria ao presidente Donald Trump caso recebesse ordens para um lançamento "ilegal" de armas nucleares.

O general da Força Aérea John Hyten, comandante do Comando Estratégico dos EUA (Stratcom), disse em audiência no Fórum Internacional de Segurança de Halifax, em Nova Escócia, no Canadá, que já pensou muito no que diria caso recebesse tal ordem.

"Eu acho que algumas pessoas pensam que somos estúpidos", disse Hyten em resposta a uma pergunta sobre esse cenário. "Nós não somos pessoas estúpidas. Pensamos bem nessas coisas. Quando você tem essa responsabilidade, como você não pensa nisso?"

Hyten, que é responsável por supervisionar o arsenal nuclear dos Estados Unidos, explicou o processo que se seguiria a tal comando.

Como comandante da Stratcom, "eu dou conselhos para o presidente, ele vai me dizer o que fazer", explicou o general em suas declarações, retransmitidas em um vídeo publicado na página do fórum no Facebook.

"E se é ilegal, adivinhe o que vai acontecer? Vou dizer: 'Senhor Presidente, isso é ilegal'. E adivinhe o que ele vai fazer? Ele vai dizer: 'O que seria legal?' E vamos encontrar opções, de uma série de competências para responder a qualquer que seja a situação, e é assim que funciona. Não é tão complicado. "

O Pentágono não respondeu imediatamente a pedidos para que comentasse sobre as declarações de Hyten.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos