Turquia condena decisão alemã de permitir comício de partido pró-curdos

INSTAMBUL (Reuters) - O Ministério do Exterior turco condenou neste sábado o que chamou de “dois pesos e duas medidas” adotados pela Alemanha de permitir uma manifestação em Colônia do HDP, partido pró-curdos de oposição, tendo antes impedido políticos do partido do governo turco de fazer campanha no país.

“Essa abordagem com duas caras, que enfaticamente condenamos, não é compatível com a democracia, com a luta contra o terrorismo e com a expectativa de normalização das relações entre a Turquia e a Alemanha”, disse a chancelaria turca em comunicado.

A Alemanha tem uma população de cerca de três milhões de pessoas de origem turca. O país tem afirmado que não vai permitir políticos estrangeiros fazerem campanha em seu território antes das eleições presidenciais e parlamentares turcas de 24 de junho.

A eleição vai marcar o início de um sistema com grandes poderes para o Executivo, sistema que foi aprovado por pequena margem num referendo no ano passado.

A polícia em Colônia proibiu que dois políticos da oposição turca falassem no comício dos curdos neste sábado, devido ao receio de que eles usassem a ocasião para fazer campanha eleitoral, disse um jornal alemão.

O jornal relatou que Ahmet Yildirim e Tugba Hezer, parlamentares do HDP, esperavam falar durante a manifestação organizada pelos curdos da cidade contra o envolvimento turco no conflito sírio.

O chanceler austríaco Sebastian Kurz, que lidera uma coalizão de direita contrária à entrada da Turquia na União Europeia, também disse no mês passado que o governo turco seria proibido de “tentar explorar” as comunidades turcas na Europa.

((Tulay Karadeniz e Thomas Escritt em Berlim)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos