PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
2 meses

"Farmácia do mundo", Índia inicia embarque de vacina contra covid-19 para vizinhos

Muitos países de baixa e média renda estão contando com a Índia para obter suprimentos para iniciar os programas de imunização - Reuters
Muitos países de baixa e média renda estão contando com a Índia para obter suprimentos para iniciar os programas de imunização Imagem: Reuters

Krishna N. Das

20/01/2021 09h36

A Índia começou a distribuir vacinas contra o coronavírus para seus vizinhos hoje, informou o Ministério das Relações Exteriores do país, sinalizando um gesto de cortesia em uma região frequentemente turbulenta, com o primeiro carregamento enviado para o minúsculo reino do Butão no Himalaia.

Bangladesh e Nepal disseram esperar entregas amanhã. O único vizinho ausente da lista da Índia, além da China, é o rival regional Paquistão, que não pediu ajuda, segundo uma autoridade do governo indiano.

Muitos países de baixa e média renda estão contando com a Índia, o maior fabricante de vacinas do mundo, para obter suprimentos para iniciar os programas de imunização e pôr fim aos surtos de covid-19.

"A Farmácia do Mundo fará as entregas para superar o desafio da covid", disse o ministro das Relações Exteriores, S. Jaishankar, no Twitter, acrescentando que os primeiros lotes de vacina chegaram ao Butão e às Maldivas.

Seu ministério afirmou ontem que "suprimentos sob concessão de assistência" seriam enviados para Bangladesh, Nepal, Mianmar e Seychelles. Os embarques para Sri Lanka, Afeganistão e Ilhas Maurício aguardavam autorizações regulatórias.

A Índia autorizou duas vacinas este mês para uso de emergência no país, uma licenciada pela Universidade de Oxford e AstraZeneca e outra desenvolvida em território nacional pela Bharat Biotech em parceria com o Conselho Indiano de Pesquisa Médica. Ambas são fabricadas localmente.

Espera-se que pelo menos duas outras vacinas sejam autorizadas pela Índia nos próximos meses.

A Índia inicialmente enviará apenas a vacina da AstraZeneca, feita pelo Instituto Serum da Índia, o maior fabricante mundial de vacinas, que chama a vacina de Covishield.

Bangladesh disse que espera receber uma doação de dois milhões de doses da Covishield da Índia amanhã. O país de mais de 160 milhões de habitantes ainda não iniciou seu programa de vacinação e encomendou mais 30 milhões de doses da vacina.

O Nepal afirmou que foi prometido pela Índia um milhão de doses gratuitas.

O Paquistão aprovou para uso emergencial a vacina da chinesa Sinopharm e outra desenvolvida pela AstraZeneca e Universidade de Oxford, mas ainda não recebeu nenhum estoque.

A Índia, que registra o maior número de infecções por coronavírus depois dos Estados Unidos, vacinou até agora mais de 631.417 trabalhadores da linha de frente após o início da campanha no sábado.

O segundo país mais populoso do mundo registrou na quarta-feira 13.823 novos casos, elevando o total para 10,9 milhões. O número de mortes pela doença aumentou em 162, para 152.718, segundo dados do Ministério da Saúde.

Internacional