EUA se une a dezenas de países em compromisso de reduzir emissões de refrigeração

Por Gloria Dickie

DUBAI (Reuters) - Os Estados Unidos estão entre pelo menos 60 países que apoiaram nesta terça-feira um compromisso de redução até 2050 de emissões de gases causadores de efeito estufa relacionadas à refrigeração, disseram fontes do Departamento de Estado dos EUA na COP28, em Dubai.

O Global Cooling Pledge (Compromisso Global sobre Refrigeração) marca a primeira ação coletiva do mundo nas emissões de energia do setor de refrigeração. Ele exige que os países reduzam até 2050 suas emissões relacionadas à refrigeração em pelo menos 68% em comparação com os níveis de 2022.

É uma tarefa difícil, já que o setor de refrigeração deve crescer à medida que as temperaturas continuarem subindo.

Com a capacidade de refrigeração instalada prevista para triplicar até 2050, espera-se que as emissões do setor aumentem entre 4,4 bilhões e 6,1 bilhões de toneladas métricas de dióxido de carbono equivalente até 2050, de acordo com um relatório publicado nesta terça-feira pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma).

Isso equivale a um décimo das emissões globais esperadas, segundo o relatório, e pode sobrecarregar redes de enegia elétrica.

O Quênia foi o primeiro a assinar o compromisso, com pelo menos mais 59 países aderindo até a tarde de segunda-feira, disse Brian Dean, da Sustainable Energy for All, uma agência sem fins lucrativos que faz parte de uma coalizão do Pnuma que desenvolveu o acordo.

Os organizadores esperam que pelo menos 80 países apoiem o compromisso.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora