Câmara dos EUA aprova projeto de lei apoiado por Trump sobre votos de pessoas sem cidadania

A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, controlada pelos republicanos e alimentada pelas alegações falsas de Donald Trump sobre fraude eleitoral, aprovou um projeto de lei nesta quarta-feira proibindo não-cidadãos de se registrarem para votar em eleições federais, um prática rara que já é ilegal.

Menos de quatro meses antes do confronto entre Trump e o presidente democrata Joe Biden na eleição de 5 de novembro, a Câmara aprovou por 221 votos a 198 a medida que se baseia em acusações de que pessoas que cruzaram a fronteira com o México ilegalmente poderiam depositar votos nas eleições à Presidência e ao Congresso deste ano.

O projeto de lei agora irá ao Senado, liderado pelos democratas, onde provavelmente vai morrer assim que chegar.

Batizado de Lei de Proteção à Elegibilidade do Eleitor Americano, o projeto de lei exigiria que as pessoas apresentassem provas de cidadania norte-americana quando estiverem se registrando para votar e obrigaria os Estados a excluir suspeitos de serem não-cidadãos das listas de eleitores.

Já é crime um não-cidadão votar em uma eleição federal, e estudos independentes demonstraram que esse tipo de coisa acontece apenas raramente.

Os democratas são contra o projeto de lei, descrevendo-o como uma tentativa de suprimir eleitores que visa eleitorados-chave dos democratas, com uma mensagem inspirada por Trump e calculada para minar a confiança do público no sistema eleitoral dos EUA.

?O projeto de lei não fará nada para proteger nossas eleições?, afirmou a Casa Branca, em um comunicado nesta semana. ?Mas tornaria muito mais difícil para que os norte-americanos elegíveis se registrassem para votar e aumentaria o risco de que eleitores elegíveis sejam excluídos das listas?.

O presidente da Câmara, Mike Johnson, alegou em um discurso no plenário antes da votação que não apoiar a lei ?entregaria nosso país a imigrantes ilegais, traficantes de cartéis e criminosos violentos e assassinos?.

Trump, que é favor da lei, continua repetindo alegações falsas de que a eleição de 2020 foi roubada por meio de uma imensa fraude eleitoral.

Deixe seu comentário

Só para assinantes